2 comentários:
De Hugo Alves a 29 de Agosto de 2006 às 12:33
Sou dos que acha que o filme é tudo menos extenuante. Garrel tem sido criticado noutras por reunir toda a família, Talvez se ignore que é um dos seus traços característicos. Emfim...

Mas este "les amants réguliers" é uma peça fundamental. Relembra-no como se faz Cinema. E tal como a Segunda Vaga Italiana, Garrel, à imagem do genial Jean Eustache, fez uma recepção crítica da Nouvelle Vague. OS anos passam, mas ela continua em forma. E recomenda-se.


De ana sofia a 6 de Fevereiro de 2007 às 14:37
A minha opiniao passa muito ao lado do vosso texto e da vossa critica. Garrel fez optimos trabalhos ao longo da sua carreira e "Les amants reguliers" e sem duvida um desses trabalhos que dificilmente se consegue esquecer. O trabalho de Garrel transforma o cinema frances em algo ainda melhor do que o que ja e. Louis Garrel e um grande actor, e a sua performance no filme nao excede as expectativas, porque ja estava a espera de um optimo trabalho da parte dele. O facto de Garrel juntar a familia no filme nao tem nada de mal ou de falta de profissionalismo, pelo contrario, e uma marca do seu trabalho, marca a diferença e torna se ate bastante engraçado. Quanto as personagens que se conseguem expressar apenas por palavras e nao conseguem mostrar o que sentem sem falar, estou completamente em desacordo, acho que conseguem mostra lo e muito bem, nao ha um unico beijo entre eles no filme e o amor esta la, ha caricias, abraços, ternura.. ate porque eles nao falam muito e toda a gente percebe que existe imenso amor entre eles. O filme e longo, mas cativa e apaixona, deixa tudo em claro, sem muitos promenores e cenas desnecessarias, sem exageros e muitos dramas. E um filme simples, muito bom e recomendavel, pela historia e pelo caracter historico, pela imagem, pela lingua francesa, pelos belissimos actores e por muito mais.. Tudo isto faz de "Les amants reguliers" um optimo, um grande e belo filme.


Comentar post