Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

Candy ****

09.08.06, Rita

Realização: Neil Armfeld. Elenco: Heath Ledger, Abbie Cornish, Geoffrey Rush, Noni Hazlehurst, Tony Martin. Nacionalidade: Austrália, 2006.





Candy (Abbie Cornish) e Dan (Heath Ledger) entram numa centrifugadora humana num parque de diversões. A lei natural da gravidade é desafiada ao som de “Song to the Siren” na voz de Paula Arundell e percebemos que a sua paixão está, também ela, liberta de leis. Responsabilidades e consequências não entram na equação da jovem pintora e do poeta. Candy e Dan estão viciados um no outro, e estão também viciados em heroína. Quando a droga e o dinheiro começam a escassear dá-se início a uma espiral descontrolada, porque ela é a razão dos seus dias.


“Candy”, baseado no livro de 1997 de Luke Davies, co-argumentista, é uma história crua e brutal sobre o efeito devastador das drogas. Desde os estados idílicos assustadoramente sedutores (um deles musicado com “Sugar Man”, de Sixto Rodriguez) até à auto-destruição, passando pela dor da desintoxicação e pelo sofrimento impotente da família.


Mas “Candy” é também uma viagem de amor. Candy e Dan mantêm-se juntos através de todos os obstáculos, desde a invencibilidade até à completa fragilidade. Os pais de Candy acompanham, impotentes, a desintegração do futuro da sua filha, a mãe (Noni Hazlehurst) oscilanndo entre o receio e a crítica, o pai (Tony Martin) calando a dor. Todos eles passam pelo “Céu”, pela “Terra” e pelo “Inferno” (as três partes em que o filme se divide) através de difíceis escolhas.


Neil Armfeld não doura a pílula nem lança julgamentos e num filme triste, perturbante e até repugnante, consegue a proeza de acordar em nós um profundo carinho por todas estas personagens desesperadas. Seria fácil desprezar Dan pela sua influência em Candy, mas Ledger, mostrando mais uma vez a sua versatilidade, evoca a compaixão que votamos às almas perdidas. Abbie Cornish, pelo seu lado, revela enorme entrega e honestidade na sua Candy. A química entre os dois é igualmente poderosa. Geoffrey Rush merece uma referência equivalente, como Caspar, um professor universitário de química, uma figura paternal para Dan e seu mentor no hedonismo das drogas.


A negação – constante – do impulso para o prazer destrutivo, resistir à sedução dos antigos demónios, a verdadeira redenção em “Candy” é recuperar o amor. Neste caso, o amor-próprio.


E o ciclo fecha-se, quebrado, com “Song to the Siren”, no original arrepiante de Tim Buckley.






CITAÇÕES:


“When you can stop you don’t want to, when you want to stop you can’t.”
GEOFFREY RUSH (Casper)

“Anxiety is a full time job.”
HEATH LEDGER (Dan)


SONG TO THE SIREN, de Tim Buckley

On the floating, shapeless oceans
I did all my best to smile
til your singing eyes and fingers
drew me loving into your eyes.

And you sang "Sail to me, sail to me;
Let me enfold you."

Here I am, here I am waiting to hold you.
Did I dream you dreamed about me?
Were you here when I was full sail?

Now my foolish boat is leaning, broken love lost on your rocks.
For you sang, "Touch me not, touch me not, come back tomorrow."
Oh my heart, oh my heart shies from the sorrow.
I'm as puzzled as a newborn child.
I'm as riddled as the tide.
Should I stand amid the breakers?
Or shall I lie with death my bride?

Hear me sing: "Swim to me, swim to me, let me enfold you."
"Here I am. Here I am, waiting to hold you."



SUGAR MAN, de Sixto Rodriguez

Sugar man, won't you hurry
'Cos I'm tired of these scenes
For a blue coin won't you bring back
All those colours to my dreams

Silver magic ships you carry
Jumpers, coke, sweet Mary Jane

Sugar man met a false friend
On a lonely dusty road
Lost my heart when I found it
It had turned to dead black coal

Silver magic ships you carry
Jumpers, coke, sweet Mary Jane

Sugar man you're the answer
That makes my questions disappear
Sugar man 'cos I'm weary
Of those double games I hear

Sugar man, sugar man

Sugar man, won't you hurry
'Cos I'm tired of these scenes
For a blue coin won't you bring back
All those colours to my dreams

Silver magic ships you carry
Jumpers, coke, sweet Mary Jane

Sugar man you're the answer
That makes my questions disappear
Sugar man 'cos I'm weary
Of those double games I hear

Sugar man, sugar man

Silver magic ships you carry
Jumpers, coke, sweet Mary Jane, yeah

Sugar man, sugar man

Sugar man, won't you hurry
'Cos I'm tired of these scenes
For a blue coin won't you bring back
All those colours to my dreams

Sugar man, sugar man

Sugar man you're the answer
That makes my questions disappear


































































































Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.