Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

Shame ****1/2

07.03.12, Rita

Realização: Steve McQueen. Elenco: Michael Fassbender, Carey Mulligan. Nacionalidade: Reino Unido, 2011.





As compulsões são violentas e destruidoras. Consomem-se quando são satisfeitas para apenas regressarem com renovada energia. A consciência, tanto na acepção de actividade cerebral como de moral, é vencida. E é dessa derrota que nos envergonhamos. De não nos termos sabido conter, de dizer “não”, de quebrar o vício circular.


McQueen não tem compaixão pelas suas personagens. Sem ceder por um momento, ele rodeia-as de uma arquitectura fria de linhas rígidas, onde a transparência dos edifícios e a suavidade das texturas contrastam com o hermetismo e as agruras emocionais. Fala-se de solidão em planos abertos e longos, fala-se de segredos irreveláveis contidos em confrontos quotidianos, fala-se de sonhos irrealizáveis ao sabor da canção “New York, New York”.


Em “Hunger” Michael Fassbender tinha deixado McQueen moldar-lhe o corpo. Aqui, deixa-o moldar-lhe a alma. E é sem medida e sem medos que ele se entrega. E é por essa sinceridade que partilhamos da sua miséria.


Entre o controlo extremo e a raiva explosiva, foge-se de quem se é. Porque se quer deixar de ser o que se foi, finge-se.


E às vezes quase parece que se pertence (I want to be a part of it...).
E às vezes quase parece que se recomeça (I’ll make a brand new start of it...).
A dor está nas palavras.


o belíssimo poster


















Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.