Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

The Dark Knight ****1/2

18.08.08, Rita

Realização: Christopher Nolan. Elenco: Christian Bale, Heath Ledger, Aaron Eckhart, Michael Caine, Maggie Gyllenhaal, Gary Oldman, Morgan Freeman. Nacionalidade: EUA, 2008.





“The Dark Knight” é, provavelmente, o melhor filme de super heróis alguma vez feito. Impregnado da melancolia que caracteriza a personagem de Batman, consegue ser, simultaneamente, um film noir e um banquete de entretenimento inteligente. A história de Christopher Nolan e David S. Goyer, cujo argumento foi desenvolvido em conjunto com Jonathan Nolan, irmão do realizador, mais do que centrar-se na luta de um homem mascarado com um vilão, “The Dark Knight” é sobre os habitantes de uma cidade encurralados por uma força destrutiva e imparável.


Em síntese, um vilão maníaco conhecido como Joker (Heath Ledger) junta todos os criminosos de Gotham City com um claro objectivo: matar o Batman (Christian Bale) e, pelo caminho, expor a sua verdadeira identidade. Claro que “The Dark Knight” é bastante mais denso e complexo que isso e vale bem a pena enveredar por cada um dos fios de narrativa que vão sendo desvelados. Esta preocupação com o conteúdo e o ágil domínio da estrutura acompanham personagens compostas de complexas camadas e emoções abrangentes.


Em “Batman Begins”, Nolan tinha já abordado as origens de Bruce Wayne e das suas compulsões. “The Dark Knight” dá continuidade à história sem demais contextos. Mas também o passado de Joker é abordado de uma forma quase orgânica através dos diálogos, sem colagens de flashbacks.


A linearidade do bem contra o mal é totalmente ultrapassada. O duelo é feito entre dois adultos profundamente marcados por uma infância de crueldade. O caminho para a compensação é, no entanto, feito em sentidos opostos. Subjacente a esta luta, existe uma compreensão mútua pelas perturbações do outro, como se de um espelho se tratasse. Mas enquanto Batman se debate num conflito interno que põe em causa a legitimidade na defesa da sua cidade, o Joker transfere para as suas vítimas duros dilemas morais.


“The Dark Knight” não abranda para respirar, mas apesar das muito boas cenas de acção (e de espectaculares efeitos especiais) não são elas que fazem avançar a história. São antes uma sua consequência. Gotham City (na realidade trata-se de Chicago) surge como uma selva (literal e metafórica) de arranha-céus fora da qual o mundo parece não existir.


Christian Bale oferece-nos uma interpretação sem falhas, com as doses de classe e força necessárias, onde apenas uma voz propositadamente mais grave surge algo deslocada. Mas “The Dark Knight” nunca seria tão bom se não contasse com um dos melhores grupos de secundários: Michael Caine como o mordomo Alfred Pennyworth, Morgan Freeman no papel do engenheiro Lucius Fox (Morgan Freeman), e Gary Oldman como Detective Gordon. São eles que materializam a compaixão, o humor e heroísmo. Aaron Eckhart tem também aqui um óptimo trabalho como o Procurador Geral Harvey Dent. A personagem anteriormente interpretada pela insossa Katie Holmes, a assistente de Dent, Rachel Dawes, sofre um agressivo upgrade para uma Maggie Gyllenhaal com a garra que a personagem exige.


Finalmente, Heath Ledger, numa interpretação que nos faz maldizer a fatalidade. Esta dose desmesurada de talento não precisa da lente de ampliação de uma morte trágica. O mérito da infalível combinação de comicidade e terror é todo seu. Não quero saber do Oscar, basta-me apreciar a prenda generosa que foi a sua dedicação, e aguardar pelo derradeiro “The Imaginarium of Doctor Parnassus” de Terry Gilliam.


Nunca Batman foi tão negro, tão agressivo e tão sofrido como em “The Dark Knight”. O que o salva do caos despreocupado em que Joker vive é também o único elemento que os diferencia: o afecto, seja ele por uma pessoa ou por uma cidade.






CITAÇÕES:


“The only sensible way to live in this world is without rules!”
HEATH LEDGER (The Joker)

“The Joker's just a mad dog. I want whoever let him off the leash.”
AARON ECKHART (Two-Face)

“Sometimes, truth isn't good enough, sometimes people deserve more. Sometimes people deserve to have their faith rewarded.”
CHRISTIAN BALE (Batman)

“You either die a hero or you live long enough to see yourself become the villain. ”
AARON ECKHART (Harvey Dent)

























Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.