Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

2 Days in Paris ***

02.10.07, Rita

Realização: Julie Delpy. Elenco: Julie Delpy, Adam Goldberg, Daniel Brühl, Marie Pillet, Albert Delpy, Alexia Landeau, Adan Jodorowsky, Alex Nahon. Nacionalidade: França / Alemanha, 2007.





Se as férias são um período onde as tensões do dia-a-dia se desvanecem, podem também colocar outras pressões não menos fortes sobre um casal, sob pena de passarem as 24 horas do dia juntos. Esse parece ser o caso do americano Jack (Adam Goldberg) e da francesa Marion (Julie Delpy), que, no final de umas férias pela Europa, resolvem passar dois dias em Paris na companhia dos pais de Marion, Anna (Marie Pillet) e Jeannot (Albert Delpy) antes de regressarem a Nova Iorque.


Aquilo que deveria ter sido uma escapadela romântica no contexto da sua relação de dois anos, transforma-se no derradeiro teste à sua capacidade de aceitação. Entre as neuroses de Jack e o agitado passado amoroso de Marion, ambos estão tão obcecados com as diferenças que os separam que se esquecem daquilo que os une. O confronto com o mundo do outro pode bem transformar o nosso olhar, mas conduzir uma relação para níveis mais profundos (e mais saudáveis) pode evidenciar barreiras emocionais que necessitam ser transpostas.


Julie Delpy escreve o argumento, realiza, produz, interpreta e compõe a banda sonora. Chama os seus pais para o papel de pais de Marion e um ex-namorado para o de namorado. O que faz com que toda a química existente entre estes actores não seja pura coincidência. Este é, em toda a sua extensão, um “filho” seu e uma prova do seu ilimitado interesse (e talento) na sétima arte.


Mas Delpy não é uma novata e faz bom uso da experiência de co-escrita do argumento de “Before Sunset”, construindo diálogos nervosos e à flor da pele. Naquela que é uma história de incompatibilidades, entre um homem e uma mulher, mas também entre duas culturas, a façanha mais louvável de Delpy é conseguir uma quase impossível imparcialidade na forma como olha para as idiossincrasias de cada um(a) deles(as).






CITAÇÕES:


“It’s your ego that’s too big for Italian and French condoms, not your dick.”
JULIE DELPY (Marion)

“It always fascinated me how people go from loving you madly to nothing at all, nothing. It hurts so much. When I feel someone is going to leave me, I have a tendency to break up first before I get to hear the whole thing. Here it is. One more, one less. Another wasted love story. I really love this one. When I think that its over, that I'll never see him again like this... well yes, I'll bump into him, we'll meet our new boyfriend and girlfriend, act as if we had never been together, then we'll slowly think of each other less and less until we forget each other completely. Almost. Always the same for me. Break up, break down. Drunk up, fool around. Meet one guy, then another, fuck around. Forget the one and only. Then after a few months of total emptiness start again to look for true love, desperately look everywhere and after two years of loneliness meet a new love and swear it is the one, until that one is gone as well. There's a moment in life where you can't recover any more from another break-up. And even if this person bugs you sixty percent of the time, well you still can’t live without him. And even if he wakes you up every day by sneezing right in your face, well you love his sneezes more than anyone else's kisses.”
JULIE DELPY (Marion)



















Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.