Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

Shrek The Third ***

28.06.07, Rita

Realização: Chris Miller e Raman Hui. Vozes V.O.: Mike Myers (Shrek), Eddie Murphy (Donkey), Cameron Diaz (Princesa Fiona), Antonio Banderas (Puss in Boots), Julie Andrews (Rainha Lilian), John Cleese (Rei Harold), Rupert Everett (Princípe Charming), Eric Idle (Merlin), Justin Tiberlake (Artie), Susan Blakeslee (Rainha Má), Condy Cameron (Pinocchio/Three Pigs/Ogre Baby/Bohort), Larry King (Doris), Ian McShane (Captain Hook). Nacionalidade: EUA, 2007.





Na terceira viagem ao mundo de Far Far Away, encontramos o Rei Harold (John Cleese) no seu leito de morte, informando Shrek (Mike Meyers) que ele é o herdeiro ao trono. Recusando assumir uma tarefa que o assusta, Shrek consegue ainda saber que a única outra pessoa que poderia reclamar legitimamente o trono seria um jovem de seu nome Arthur (Justin Timberlake). Muito a contragosto da Princesa Fiona (Cameron Diaz), que acaba de saber que está grávida, Shrek parte, com Donkey (Eddie Murphy) e Puss in Boots (Antonio Banderas), em busca de Arthur.


Entretanto, o Príncipe Charming (Rupert Everett), reduzido a fazer cafés-concerto, jura perante a foto da sua mãe vingar-se de Shrek e Fiona e reclamar para si o trono de Far Far Away. O seu plano inclui aliar a si um grupo de vilões de contos de fada (a Bruxa Má e o Capitão Gancho, entre outros), desejosos também eles do seu próprio “e viveram felizes para sempre”.


Sem a ajuda de Shrek, Fiona e a Rainha Lilian (Julie Andrews) juntam um grupo de donzelas, onde se inclui Rapunzel (Maya Rudolph), Branca de Neve (Amy Poehler), Cinderela (Amy Sedaris) e uma narcoléptica Bela Adormecida (Cheri Oteri) para defenderem o castelo.


“Shrek The Third” é inferior que os seus antecessores sobretudo a nível do texto. O humor é mais fácil e, em demasiadas ocasiões, previsível. A banda sonora está longe de ser brilhantemente adaptada às situações, e nenhuma das novas personagens é tão encantadora como o Puss in Boots (Antonio Banderas) de “Shrek 2”. Ainda assim, “Shrek The Third” funciona. Primeiramente, porque tem o cuidado de fazer evoluir as suas personagens principais; depois, porque as novas personagens secundárias conseguem, em termos globais, cativar-nos pelas suas idiossincrasias. Aqui está compreendida a integração de mais um ex-Monty Python, Eric Idle, na voz de Merlin e com inegáveis parecenças físicas.


A sátira à cultura actual não é tão acutilante como anteriormente, mas a visita a este “anti-conto-de-fadas” continua a ser um prazer para os sentidos. Porque às vezes não precisamos de desculpas elaboradas para rir.


P.S.- Não vale a pena ficaram na sala após a primeira parte do genérico, desta feita não há surpresas.
















Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.