Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

Wide Awake ***

22.04.07, Rita

Realização: Alan Berliner. Género: Documentário. Nacionalidade: EUA, 2006.





Imagine-se viver toda uma vida atormentado pela insónia. O filme do realizador Alan Berliner fala da sua experiência e da sua batalha pessoal por uma boa noite de sono. Berliner está prestes a ter um filho, e essa parece ser a sua grande motivação para “tratar” o seu problema. Para o efeito, consulta uma série de peritos que tentam perceber a origem da incapacidade de “desligar” o cérebro durante a noite. Uma parte da razão reside no facto de Berliner ser um homem extraordinariamente obsessivo. Com o nascimento do seu filho, Berliner vê-se confrontado com a necessidade de fazer um reset do seu relógio biológico, por forma a coincidir os seus horários com os do seu filho. Preocupado com a possibilidade da sua “maldição” ser hereditária, Berliner volta a sua obsessão para o sono saudável do seu filho.


Com um humor irónico e um tom auto-depreciativo, Berliner constrói um documento bem ritmado, ilustrado com diversas cenas de filmes antigos (certamente guardadas no arquivo irrealmente extensivo que Berliner mantém), sobre os problemas emocionais e sociais que derivam da privação do sono, e os efeitos sobre aqueles que rodeiam a vítima. Numa discussão à mesa com a sua mulher, a irmã Lynn e a mãe, Berliner é mais um objecto de exasperação do que de compaixão. Porque há claramente uma parte de Berliner que não quer essa cura. Ele é um noctívago, e sente que o seu processo criativo depende desse seu desequilíbrio, e que o preço da sua arte é manter-se acordado durante a noite e exausto durante o dia. No final, é-nos difícil acreditar na sua convicção de mudança.



NOTA: Felizmente, não tenho problemas desta índole, mas a ciência do sono é um assunto que me desperta um interesse particular. Ainda que a literatura sobre o assunto não abunde ou, a que existe, seja demasiado técnica para leigos como eu, há um livro que recomendo vivamente aos curiosos e que, por diversas vezes, já fui buscar à minha estante: O MUNDO ENCANTADO DO SONO, de Peretz Lavie (Climepsi Editores).








CITAÇÕES:


“Truth is, I’m not much of a sleeper. That doesn’t mean I don’t need sleep — we all do. It’s just that I don’t get enough of it. I don’t get tired when I’m supposed to and I don’t (make that can’t) wake up when the rest of the world says I should. Insomnia is nothing new to me; I’ve been this way ever since I can remember.”
ALAN BERLINER

“I don't know what the causes of my insomnia are. My grandfather was an insomniac, so that could be relevant ... or it could be just biological. I am not blaming my parents, per se, for it, but indirectly, my parents were fighting or talking and that might be a cause. Maybe the film is a cautionary idea for people: make sure your children are sleeping before you fight.”
ALAN BERLINER

“Sometimes, I feel like I'm addicted to being awake.”
ALAN BERLINER






















Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.