Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

CINERAMA

CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA

The Prestige ****

15.01.07, Rita

Realização: Christopher Nolan. Elenco: Hugh Jackman, Christian Bale, Michael Caine, Rebecca Hall, Scarlett Johansson, David Bowie, Andy Serkis, Samantha Mahurin, Piper Perabo. Nacionalidade: EUA / Reino Unido, 2006.





“The Prestige”, baseado no livro homónimo de Christopher Priest, está construído como os golpes de magia de que fala. Também ele dividido em três partes: ‘The Pledge’, ‘The Turn’ e ‘The Prestige’ – a preparação, o truque, e a revelação.


Rupert Angier (Hugh Jackman) e Alfred Borden (Christian Bale) são dois ilusionistas em início de carreira, o primeiro um tradicionalista, o segundo um inovador. O trágico desfecho de um número marca o início de uma rivalidade na qual, durante anos, eles se debatem pelo melhor truque de magia. O desafio final chega quando Borden cria “O Homem Transportado” e Angiers fica obcecado por descobrir o seu método.


Num argumento partilhado com o seu irmão Johnathan, Christopher Nolan, realizador dos inesquecíveis “Memento” (2000), “Insomnia” (2002),“Batman Begins” (2005) – e da sua sequela “The Dark Knight” (2008) –, conta uma história de ciúme profissional e de vingança, e da capacidade de dois homens fazerem coisas horríveis em nome de ambos. Algumas das concepções mais irreais deste filme fazem-nos pensar sobre questões verdadeiramente perturbantes.


Naquele que pode ser considerado o irmão erudito do anterior “The Illusionist”, Nolan manipula-nos. Como num golpe de magia, ele diz-nos para onde olhar, com cada viragem tentamos decifrar o enigma que temos entre mãos, e a cada nova informação revemos as nossas percepções anteriores. “The Prestige” é um filme que puxa pelo espectador, e isso também devido às difíceis escolhas de estrutura de Nolan, como é o caso de flashbacks dentro de flashbacks.


Um filme de época, “The Prestige” foca as inovações técnicas do final do século XIX, e aquela que é a “magia real”: a ciência. Para o efeito, faz uso de uma personagem real, o físico sérvio Nikola Tesla (um impressionante David Bowie, cuja voz – Zeus! – nem um sotaque sérvio consegue esconder). O filme explora em particular a sua rivalidade com Thomas Edison e as suas investigações sobre geração e transmissão eléctrica em Colorado Springs. Como seu assistente, Mr. Alley, está o actor Andy Serkis, mais famoso por “não ser visto” no ecrã em papéis como Gollum ou King Kong.


Christian Bale e Hugh Jackman protagonizam um grande duelo de forças, o primeiro com a intensidade e versatilidade à qual nos tem vindo a habituar, o segundo com uma solidez cada vez mais interessante. A escolha menos acertada foi a de Scarlett Johansson, relegada para um papel quase só meramente decorativo. E “The Prestige” é, de facto, esteticamente deslumbrante: um fabuloso design de produção, um guarda-roupa delicioso (ainda estou a sonhar com aquele corpete-ligas de Johansson...) e a fotografia luxuriante de Wally Pfister (colaborador habitual de Nolan).


Alguns ficarão desiludidos quando este filme chegar ao fim. Perceber “The Prestige” é, no limite, a mesma sensação de perda que se tem quando se entende como funciona o truque, um misto de alívio e desencanto. Porque, na verdade, nós não queremos saber. Nós queremos ser enganados, bem enganados.


Este filme é para aqueles que sabem que o maior gozo do mistério é o processo de ir construindo a solução e não a solução em si mesma. Afinal de contas, magia é apenas desviar a nossa atenção de um ágil movimento da mão. E Nolan tem uma mão verdadeiramente ágil. “Are you watching closely?”






CITAÇÕES:


“Every great magic trick consists of three acts. The first act is called "The Pledge"; The magician shows you something ordinary, but of course... it probably isn't. The second act is called "The Turn"; The magician makes his ordinary some thing do something extraordinary. Now if you're looking for the secret... you won't find it, that's why there's a third act called, "The Prestige"; this is the part with the twists and turns, where lives hang in the balance, and you see something shocking you've never seen before.”
MICHAEL CAINE (Cutter)

“Robert Angier - I never thought I'd find an answer at the bottom of a pint glass.
Cutter - Hasn't stopped you looking, has it?”
HUGH JACKMAN (Robert Angier) e MICHAEL CAINE (Cutter)

“No one cares about the man in the box, the man who disappears.”
HUGH JACKMAN (Robert Angier)

“Now you're looking for the secret... but you won't find it because you're not really looking. You don't really want to know the secret... You want to be fooled.”
MICHAEL CAINE (Cutter)


























Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.