CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA
Domingo, 30 de Dezembro de 2007
Saldo (não saldos)

Por um ano de coisas boas.






JANEIRO
BABEL, de Alejandro González Iñárritu

FEVEREIRO
DAS LEBEN DER ANDEREN – AS VIDAS DOS OUTROS, de Florian Henckel von Donnersmarck

MARÇO
LETTERS FROM IWO JIMA, de Clint Eastwood

ABRIL
IKLIMER - CLIMAS, de Nuri Bilge Ceylan
IL CAIMANO, de Nanni Moretti
THE FOUNTAIN, de Darren Aronofsky

MAIO
ZODIAC, de David Fincher

JUNHO
TAXIDERMIA, de György Pálfi

JULHO
DEATH PROOF, de Quentin Tarantino

AGOSTO
RATATTOUILLE, de Brad Bird

SETEMBRO
PLANET TERROR, de Robert Rodriguez

OUTUBRO
LE SCAPHANDRE ET LE PAPILLON, de Julian Schnabel
PERSÉPOLIS, de Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud

NOVEMBRO
CONTROL, de Anton Corbijn

DEZEMBRO
EASTERN PROMISES, de David Cronenberg




realizado por Rita às 13:38
link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007
12:08 A Este de Bucareste ***

T.O.: A fost sau n-a fost? Realização: Corneliu Porumboiu. Elenco: Mircea Andreescu, Teodor Corban, Ion Sapdaru, Mirela Cioaba, Luminita Gheorghiu, Constantin Dita, Cristina Ciofu. Nacionalidade: Roménia, 2006.





A 22 de Dezembro de 1989, às 12h08 o ditador romeno Nicolae Ceausescu abdicou do poder e fugiu num helicóptero ao mesmo tempo que o palácio presidencial era invadido por protestantes. 16 anos passados do fim do reinado do comunismo na Roménia, numa pequena cidade da província a leste de Bucareste, o director de uma televisão local, Virgil Jderescu (Teodor Corban), decide fazer um debate analisando se houve ou não revolução naquela cidade (a tradução do título original é “Houve ou não houve?”), sendo determinante saber se as pessoas foram para a rua manifestar-se antes ou depois das 12h08.


Depois do cancelamento da comparência dos convidados originais, ele resolve manter o debate improvisando dois novos convidados: Tiberiu Manescu (Ion Sapdaru), um professor de história alcoólico e cheio de dívidas que afirma ter estado na praça central da cidade bem antes da hora referida; e Emanoil Piscoci (Mircea Andreescu) um idoso reformado mas não conformado, que costuma fazer de Pai Natal para as crianças do bairro.


Metade do filme serve para contextualizar as personagens, através de cenas simples mas reveladoras, acompanhado uma normalidade que transpira a amargura. Entre predadores capitalistas e perdedores conformados, aquele marco histórico parece ter gerado pouco mais que esperanças. A segunda parte do filme, o debate propriamente dito - filmado numa longa e angustiante sequência -, e no qual se incluem chamadas dos espectadores, acaba por se tornar num sério e agressivo interrogatório, ao contrário do esperado (um desespero e desilusão que é impossível descolar da própria realidade romena).


“12:08 A Este de Bucareste” fala da forma como a memória e os mitos que se constroem podem moldar a verdade histórica. Na recusa de se verem condenados a meros espectadores dos eventos que alteram as suas vidas, estes homens confortam-se numa relevância fictícia: Manescu orgulha-se de ter participado num momento determinante, da mesma forma que Jderescu sente estar a fazer algo importante ao evocar a data histórica no seu programa.


Em “12:08 A Este de Bucareste” até a dramatização que é a televisão é apresentada com honestidade. O elemento cómico e agridoce desta sátira deriva, não de saber quão revolucionária foi aquela cidade, mas do desejo, profundamente humano, de combater a letargia e a solidão. Corneliu Porumboiu usa o papel de forma simbólica, quando, nas mãos de Manescu o desfaz em pequenos pedaços e, nas mãos de Piscoci constrói barcos. Mas se esta calma não significar passividade, pode também ser que o cepticismo dos romenos não tenha ainda dado lugar ao cinismo. E como as luzes da rua se vão acendendo no início da noite, talvez o futuro traga consigo as ansiadas respostas (conquanto façamos as perguntas certas).


Independentemente do veredicto, que é deixado aos espectadores (do debate televisivo dentro do filme e a nós, os do filme propriamente dito), houve um país - e muitas pequenas cidades - que, para o melhor ou para o pior, mudaram. E se, no final, resta a dúvida sobre a dimensão dessa mudança, uma coisa é certa: o cinema romeno está, de uma forma gradual e consistente, a ganhar força no panorama mundial. A par desta primeira longa-metragem de Corneliu Porumboiu, vencedor da Caméra d’Or em Cannes em 2006, são também bons exemplos o recente “The Death of Mr. Lazarescu” de Cristi Puiu, e a Palma de Ouro deste ano, “4 Luni, 3 Saptamani si 2 Zile”</b> de Cristian Mungiu (que conta também com as participações de Teodor Corban e Ion Sapdaru).






realizado por Rita às 20:11
link do post | comentar

Domingo, 16 de Dezembro de 2007
Lions For Lambs ****

Realização: Robert Redford. Elenco: Robert Redford, Meryl Streep, Tom Cruise, Michael Peña, Derek Luke, Andrew Garfield, Peter Berg, Kevin Dunn. Nacionalidade: EUA, 2007.





O primeiro lançamento da nova United Artists sob a gestão de Tom Cruise aborda o fracasso da chamada guerra ao terror da administração Bush que, sem ganho para a nação, tem custado a vida a milhares de soldados americanos. O argumento de Matthew Michael Carnahan (autor de “The Kingdom”) tem uma abordagem tripartida, cada uma delas apresentada por um par de personagens.


Na vertente política está o Senator Jasper Irving (Tom Cruise), uma nova força no Partido Republicano, que concede uma entrevista exclusiva à jornalista (liberal e céptica) Janine Roth (Meryl Streep) sobre uma nova estratégia que permitirá ganhar a guerra ao terror. Do lado filosófico está Stephen Malley (o próprio Redford), professor numa universidade na Califórnia, que chama ao seu gabinete o aluno Andrew Garfield (Todd Hayes) para discutir as recorrentes faltas às suas aulas de Ciência Política, e lhe contar a história de Ernest Rodriguez (Michael Pena) e Arian Finch (Derek Luke), dois seus antigos alunos. São eles os protagonistas da vertente mais real, já como soldados numa ofensiva militar nas montanhas nevadas do Afeganistão, tentam ocupar um ponto estratégico, no âmbito do novo plano delineado nas mesas de Washington.


“Lions For Lambs” é um filme politicamente inflamado, com diálogos poderosos, impregnados de paixão e convicção. Inteligente e provocador, “Lions For Lambs” olha de perto diversas instituições da sociedade americana (política, educação, media), questionando o papel dos EUA como “polícias do mundo” e as suas acções como “força do bem”, chamando a atenção dos cidadãos mergulhados em cinismo e apatia, e instigando-os a empenharem-se (da mesma forma que Malley tenta fazer com Andrew, para que ele use o seu - frágil porque fugaz - potencial).


“Lions For Lambs” é um filme denso, condensando uma elevada quantidade de informação e ideias, numa retórica quase infindável de perguntas e respostas. A acção decorre durante umas horas, nas quais são tomadas cruciais decisões militares, uma jornalista se debate entre uma forte matéria jornalística e a resignação ao satus quo, um jovem é confrontado com a possibilidade de fazer a diferença, e dois outros jovens tentam sobreviver perdidos e feridos no meio da montanha.


A montagem de Joe Hutshing é ágil e a fotografia de Philippe Rousselot cria ambientes de tonalidades distintas. E apesar de algumas soluções dramáticas previsíveis, como o passeio de Janine Roth ao longo do memorial às vítimas da guerra, Redford consegue algumas cenas de grande impacto emocional, como aquela em que Rodriguez e Finch revelam o seu alistamento no exército americano. “Lions For Lambs” tem também a seu favor três actores que estão ao seu melhor nível, incorporando personagens complexas.


“Lions For Lambs” sintetiza argumentos que têm sido lançados a favor e contra a política de defesa americana, marcando claramente a sua posição política e moral, criticando a cultura mediática que tem alimentado muita dessa política e apelando à responsabilidade pessoal. Neste tríptico existe sacrifício inútil, confronto e resignação, e uma vaga esperança. Alguns dos possíveis cenários da escolha (necessária, urgente?) entre ser-se leão ou cordeiro.






CITAÇÕES:


“Nowhere else have I seen such lions led by such lambs.”
ROBERT REDFORD (Professor Stephen Malley, citando um general alemão)


“But you're never going to be the same person you are right now. Promise and potential are very fickle.”
ROBERT REDFORD (Professor Stephen Malley)


“All I want to say is that you're an adult now. And the tough thing about adulthood is that it starts before you even know it starts. When you're already a dozen decisions into it.”
ROBERT REDFORD (Professor Stephen Malley)






realizado por Rita às 23:15
link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2007
Golden Globes 2008




Os nomeados para a 65ª edição dos Golden Globe Awards já são do conhecimento público. As grandes decisões serão anunciadas a 13 de Janeiro de 2008. Aceitam-se apostas.




MELHOR FILME – DRAMA
“AMERICAN GANGSTER”, de Ridley Scott
“ATONEMENT”, de Joe Wright
“EASTERN PROMISES”, de David Cronenberg
“THE GREAT DEBATERS”, de Denzel Washington
“MICHAEL CLAYTON”, de Tony Gilroy
“NO COUNTRY FOR OLD MEN”, de Ethan Coen e Joel Coen
“THERE WILL BE BLOOD”, de Paul Thomas Anderson

MELHOR FILME - MUSICAL OU COMÉDIA
“ACROSS THE UNIVERSE”, de Julie Taymor
“CHARLIE WILSON’S WAR”, de Mike Nichols
“HAIRSPRAY”, de Adam Shankman
“JUNO”, de Jason Reitman
“SWEENEY TODD”, de Tim Burton


MELHOR ACTOR - DRAMA
GEORGE CLOONEY por “Michael Clayton”, de Tony Gilroy
DANIEL DAY-LEWIS por “There Will Be Blood”, de Paul Thomas Anderson
JAMES MCAVOY por “Atonement”, de Joe Wright
VIGGO MORTENSEN por “Eastern Promises”, de David Cronenberg
DENZEL WASHINGTON por “American Gangster”, de Ridley Scott

MELHOR ACTRIZ - DRAMA
CATE BLANCHETT por “Elizabeth: The Golden Age”, de Shekhar Kapur JULIE CHRISTIE por “Away From Her”, de Sarah Polley
JODIE FOSTER por “The Brave One”, de Neil Jordan
ANGELINA JOLIE por “A Mighty Heart”, de Michael Winterbottom
KEIRA KNIGHTLEY por “Atonement”, de Joe Wright


MELHOR ACTOR - MUSICAL OU COMÉDIA
JOHNNY DEPP por “Sweeney Todd”, de Tim Burton
RYAN GOSLING por “Lars and the Real Girl”, de Craig Gillespie
TOM HANKS por “Charlie Wilson’s War”, de Mike Nichols
PHILIP SEYMOUR HOFFMAN por “The Savages”, de Tamara Jenkins
JOHN C. REILLY por “Walk Ward: The Dewey Cox Story”, de Jake Kasdan

MELHOR ACTRIZ - MUSICAL OU COMÉDIA
AMY ADAMS por “Echanted”, de Kevin Lima
NIKKI BLONSKY por “Hairspray”, de Adam Shankman
HELENA BONHAM CARTER por “Sweeney Todd”, de Tim Burton
MARION COTILLARD por “La Vie en Rose”, de Olivier Dahan
ELLEN PAGE por “Juno”, de Jason Reitman

MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO
CASEY AFFLECK por “The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford”, de Andrew Dominik
JAVIER BARDEM por “No Country For Old Men”, de Ethan Coen e Joel Coen
PHILIP SEYMOUR HOFFMAN por “Charlie Wilson’s War”, de Mike Nichols
JOHN TRAVOLTA por “Hairspray”, de Adam Shankman
TOM WILKINSON por “Michael Clayton”, de Tony Gilroy

MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA
CATE BLANCHETT por “I’m Not There”, de Todd Haynes
JULIA ROBERTS por “Charlie Wilson’s War”, de Mike Nichols
SAOIRSE RONAN por “Atonement”, de Joe Wright
AMY RYAN por “Gone Baby Gone”, de Ben Affleck
TILDA SWINTON por “Michael Clayton”, de Tony Gilroy

MELHOR REALIZADOR
TIM BURTON por “Sweeney Todd”
ETHAN COEN e JOEL COEN por “No Country For Old Men”
JULIAN SCHNABEL por “Le Scaphandre et le Papillon”
RIDLEY SCOTT por “American Gangster”
JOE WRIGHT por “Atonement”

MELHOR ARGUMENTO
DIABLO CODY por “Juno”
ETHAN COEN e JOEL COEN por “No Country For Old Men”
CHRISTOPHER HAMPTON por “Atonement”
RONALD HARWOOD por “Le Scaphandre et le Papillon”
AARON SORKIN por “Charlie Wilson’s War”

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
DESPEDIDA – “Love in the Time of Cholera” (música de Shakira e Antonio Pinto; letra Shakira)
GRACE IS GONE – “Grace is Gone” (música de Clint Eastwood; letra de Carole Bayer Sager)
GUARANTEED – “Into The Wild” (música e letra de Eddie Vedder)
THAT’S HOW YOU KNOW – “Enchanted” (música de Alan Menken; letra de Stephen Schwartz)
WALK HARD – “Walk Ward: The Dewey Cox Story” (música e letra de Marshall Crenshaw, John C. Reilly, Judd Apatow e Kasdan)

MELHOR BANDA SONORA
MICHAEL BROOK, KAKI KING, EDDIE VEDDER por “Into The Wild”, de Sean Penn
CLINT EASTWOOD por “Grace is Gone”, de James C. Strouse
ALBERTO IGLESIAS por “The Kite Runner” de Marc Forster
DARIO MARIANELLI por “Atonement”, de Joe Wright
HOWARD SHORE por “Eastern Promises”, de David Cronenberg

MELHOR FILME NÃO INGLÊS
“4 LUNI, 3 SAPTAMANI SI 2 ZILE” (Roménia), de Cristian Mungiu
“LE SCAPHANDRE ET LE PAPILLON” (França/EUA), de Julian Schnabel
“THE KITE RUNNER” (EUA), de Marc Forster
“LUST, CAUTION” / “SE, JIE” (Taiwan), de Ang Lee
“PERSEPOLIS” (França), de Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
“BEE MOVIE”, de Steve Hickner e Simon J. Smith
“RATATOUILLE”, de Brad Bird
“THE SIMPSONS MOVIE”, de David Silverman

PRÉMIO CECIL B. DeMILLE
Steven Spielberg


Restantes nomeações aqui.






realizado por Rita às 01:18
link do post | comentar

Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007
O que se vê lá por casa (viii)

À boleia de um sofá. Até às estrelas.





“THE HITCHHIKER'S GUIDE TO THE GALAXY” de Garth Jennings (2005)






realizado por Rita às 22:58
link do post | comentar

Sábado, 8 de Dezembro de 2007
Don't Come Knocking ***

Realização: Wim Wenders. Elenco: Sam Shepard, Jessica Lange, Tim Roth, Gabriel Mann, Sarah Polley, Fairuza Balk, Eva Marie Saint. Nacionalidade: França / Alemanha / EUA, 2005.





A primeira imagem de “Don't Come Knocking” faz lembrar uma máscara de papel, com dois buracos no lugar dos olhos e o céu como fundo. Mas trata-se, com efeito, de uma formação rochosa, certamente resultante de muitos anos de erosão.


Um cowboy cavalga em direcção ao horizonte, na árida e dura paisagem do deserto do Utah. Ele é Howard Spence (Sam Shepard), um actor em decadência, que decide abandonar o local de filmagens sem avisar ninguém. Na sua caravana fica pendurado um cartaz em que está escrito "Don't come knocking if the trailer's rocking". Howard quer ser deixado em paz, mas paz é exactamente aquilo que lhe falta e é em busca dela que Howard regressa ao Nevada, a casa da mãe (Eva Maria Saint) que não vê há 30 anos. Ela guarda um álbum de recortes que acompanha o percurso de escândalos de drogas, bebida e mulheres que foi a vida de Howard. Ele vê aquilo como se se tratasse de um estranho. Nesse encontro, Howard fica a saber pela sua mãe que tem um filho. Decidido a encontrá-lo, ele volta a Butte, Montana, lugar onde, muitos anos atrás, ele tinha feito um dos seus filmes mais famosos, e onde se tinha envolvido com Doreen (Jessica Lange), uma empregada de mesa. Aí ele encontra Sky (Sarah Polley), uma jovem que se faz acompanhar da urna da sua recentemente falecida mãe. Na peugada de Howard está também Sutter (Tim Roth), um funcionário da seguradora responsável pelo cumprimento do contrato cinematográfico de Howard e encarregue de o fazer voltar ao Utah.


Numa cidade quase fantasma, o silêncio e o espaço apelam à meditação como caminho para alcançar a paz interior. Exemplo disso é a noite passada por Howard ao relento em frente à casa de Earl (Gabriel Mann), o filho de Doreen. Numa narrativa circular, é estabelecida a ponte entre um passado perdido e um futuro que se apresenta caótico. Mas enquanto a mãe de Howard não lhe guarda qualquer ressentimento, o mesmo não sucede com Earl. É sobre esse presente que Howard se vê obrigado a agir. Com autenticidade e ternura, Shepard faz de Howard um ser complexo e envolvente, ainda que imaturo no seu envelhecimento e pouco convincente no seu arrependimento.


Wim Wenders (“Land of Plenty”) recupera a ambiência de “Paris, Texas” (1984), também com argumento de Sam Shepard e com uma personagem obrigada a enfrentar o seus demónios interiores. Mas é melhor terminar por aí com as comparações, porque se Howard consegue remediar parte dos seus erros, o regresso de Wenders ao seu passado pouco ou nada acrescenta à pérola que anteriormente nos tinha sido dada. O que não quer dizer que o filme seja um desperdício, nunca o seria com este elenco, onde se destaca a impressionante química do casal Shepard e Lange (juntos desde 1982) e a sensibilidade de Poley, nem com esta estética, onde Wenders, com a fotografia de Franz Lustig, volta a evocar o universo romântico e nostálgico do pintor Edward na força dos verdes, vermelhos e amarelos.






CITAÇÕES:


“Nothing that happened back then happened.”
SAM SHEPARD (Howard Spence)






realizado por Rita às 13:10
link do post | comentar

Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007
Paranoid Park ***

Realização: Gus Van Sant. Elenco: Gabe Nevins, Taylor Momsen, Jake Miller, Dan Liu, Lauren McKinney, Scott Green. Nacionalidade: França / EUA, 2007.





Alex (Gabe Nevins) é um jovem skater de Portland com um namoro morno com Jennifer (Taylor Momsen), uma cheerleader indecisa em começar a sua vida sexual. Aliás, “morno” será a palavra que melhor descreve a relação de Alex com o mundo que o rodeia. Passivo e apático, ele é o produto de uma família desfeita. Sem um modelo moral, quer em casa quer na escola, a Alex faltam-lhe interlocutores com quem partilhar as angústias da sua busca de identidade. Paranoid Park, um recinto ilegalmente construído para a prática de skate, é o epíteto da libertação, ainda que temporária, das restrições e preocupações da realidade, através do desafio da gravidade.


Apesar de se considerar ainda verde para o experimentar, Alex deixa-se convencer pelo amigo Jared (Jake Miller) a visitar o Paranoid Park. Mas, como muitas das experiências da juventude, esta acabará por se revelar determinante para a definição de Alex como ser humano. Um acidente fatal, o bloqueio emocional e o dilema moral daí decorrentes serão integrados num processo de crescimento, onde a inocência terá necessariamente de ser substituída por algo a que podemos chamar de coragem (ou culpa).


Gus Van Sant foca-se novamente na juventude (e subculturas) da classe trabalhadora, numa adaptação livre do livro de Blake Nelson. Fazendo novamente uso de actores não profissionais, seleccionados através do myspace.com, Van Sant volta a acertar em cheio com Gabe Nevins, uma mistura de beleza, vulnerabilidade e amoralidade que coloca na sombra o restante (e mais sofrível) elenco.


A estrutura temporal da narrativa acompanha a escrita desordenada que Alex faz no seu caderno de notas, com avanços e recuos ao ritmo do preenchimento dos buracos que ele mesmo tinha recalcado. Gus Van Sant manipula a câmara (lenta) para transmitir o tempo psicológico do seu protagonista. A lenta deslocação de Alex nos corredores do liceu, um close-up do seu olhar vazio, e o acompanhamento musical adequado “obrigam-nos” a partilhar a sua angústia (numa versão moderna de um “Crime e Castigo”). À câmara, essencial e imparcial, só lhe falta entrar endoscopicamente no corpo de Alex.


A cargo dos 35mm está o director de fotografia Christopher Doyle (colaborador recorrente de Wong Kar Wai e autor de um dos segmentos de “Paris, Je T’Aime”), enquanto o flexível Super 8 das cenas de skate é da responsabilidade de Kathy Li. O design de som de Leslie Shatz vai de opções tão díspares como Nino Rota, compositor de muitas obras de Fellini, e Elliott Smith, mas nenhuma delas ao acaso.


Gus Van Sant usa o espaço vazio como elemento opressivo. Os fundos, desfoca-os, como se pretendesse retirar o elemento contextual da história, concentrando a sua preocupação no acto e não na razão subjacente ao acto. Faz uso de um grupo (os skaters) que não funciona como comunidade, num desporto individual que ganha pela partilha com outros, mas que não envolve uma comunicação directa entre os seus praticantes. Sem o julgar, observa Alex e a forma como ele interage (ou não) com as pessoas ao seu redor (pais, namorada, amigos, colegas) e como lida com as consequências dos seus actos (ou da sua inacção). A sua abordagem pode aparentar um minimalismo que favorece o estilo sacrificando a história, mas a intensidade de algumas cenas, como o rompimento do namoro ou o acidente, provam que Van Sant diz exactamente aquilo que quer dizer. Goste-se ou não.






realizado por Rita às 21:59
link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007
Eastern Promises ****1/2

Realização: David Cronenberg. Elenco: Viggo Mortensen, Naomi Watts, Vincent Cassel, Armin Mueller-Stahl, Sinead Cusack, Donald Sumpter, Jerzy Skolimowski, Yousef Altin. Nacionalidade: Reino Unido / Canadá / EUA, 2007.





Num hospital de Londres uma adolescente de 14 anos morre ao dar à luz. Decidida a encontrar a família da criança, a parteira Anna Khitrova (Naomi Watts) segue o rasto do diário que ela deixou. Mas o diário está escrito em russo, idioma que Anna não fala apesar da sua ascendência. Pede então ajuda à mãe (Sinead Cusack) e ao tio (Jerzy Skolimowski) ao mesmo tempo que aproveita a oferta de Semyon (Armin Mueller-Stahl), dono de um restaurante russo, para a ajudar.


Anna perturba assim o frágil equilíbrio da irmandade criminosa Vory V Zakone, ligada à máfia russa, e da qual Semyon é o líder. Na sombra de um negócio legítimo, efectuam-se operações de tráfico, entre as quais o tráfico sexual de jovens mulheres de leste, uma operação do especial agrado de Kirill (Vincent Cassel), o volátil filho de Semyon. Nikolai (Viggo Mortensen) é o motorista da família, com um especial talento para resolver problemas complicados (leia-se “ver-se livre de pessoas incómodas”), e cujo empenho tem como objectivo a entrada nos Vory V Zakone e a aquisição das suas estrelas tatuadas.


Cronenberg (“Spider”) continua fascinado pelo corpo, em especial pela mistura de fragilidade e força em dois momentos chave: o nascimento e a morte. Em “Eastern Promises” ele prossegue igualmente o seu fascínio pela natureza humana, do qual o seu último filme, “A History of Violence”, é também um belo exemplo.


De um lado, Cronenberg observa a perturbação que o envolvimento com criminosos cria num pequeno e vulgar núcleo familiar. Do outro lado, ainda com mais atenção, Cronenberg espreita o distúrbio provocado pela normalidade no estado de perpétua transgressão vivido pelos criminosos. Haverá algum apelo a valores morais que se consiga sobrepor aos interesses claros e funcionais do crime?


Cronenberg constrói uma metáfora visual para o conforto que a pertença a um grupo (de qualquer tipo) constitui para quem abandonou ou se viu forçado a abandonar as suas raízes. Das pedras cinzentas de Londres e do frio e humidade do Inverno londrino, ele faz-nos entrar no ambiente acolhedor, de madeiras e vermelhos, de um restaurante que se apresenta como “lar”. Mas, como em muitas as famílias, a gestão de normas e ressentimentos pode não ser a mais pacífica.


Steven Knight, autor de “Dirty Pretty Things” (2002), volta a descobrir os mundos que se albergam dentro de Londres, e no seu argumento vai tirando a casca a este universo escondido à medida que alianças e lealdades mudam para se ajustar às necessidades. No centro desta dinâmica está um vigoroso Viggo Mortensen. Vestindo o seu papel como uma segunda pele, temos oportunidade de assistir à subida de mais um degrau na escada da excelência interpretativa.


E sim, tem que se falar da cena de luta na sauna: brilhantemente filmada. Cronenberg no seu melhor, num dos melhores dos últimos tempos.






CITAÇÕES:


“Sometimes, if things are closed, you just, open them up.”
VIGGO MORTENSEN (Nikolai Luzhin)






realizado por Rita às 22:44
link do post | comentar | ver comentários (3)

Domingo, 2 de Dezembro de 2007
Nippon Koma




O cinema japonês regressa pela 5.ª vez à Culturgest. Documentários e filmes de animação, para ver de 3 a 8 de Dezembro, por 2,00 €, no pequeno auditório.


Programa aqui.






realizado por Rita às 12:21
link do post | comentar

Sábado, 1 de Dezembro de 2007
CONTROL (again)






O filme de Anton Corbijn arrecadou 5 dos 10 prémios para os quais estava nomeado na 10.ª edição dos British Independent Film Awards:


– Best Director of a British Independent Film (ANTON CORBIJN)
– Best Performance by a Supporting Actor or Actress in a British Independent Film (TOBY KEBBELL)
– The Douglas Hickox Award (ANTON CORBIJN)
– Best British Independent Film
– Most Promising Newcomer (SAM RILEY)



Um bom prenúncio para os BAFTA e para os OSCAR? A ver vamos.






realizado por Rita às 23:07
link do post | comentar

Cinefools
RITA, MIGUEL, SÉRGIO, NUNO,
VASCO, LUÍS,
efeitos visuais por S.
Citação

“When morals decline and good men do nothing evil flourishes.”
LEONARDO DICAPRIO (J. Edgar Hoover) in J. EDGAR, de Clitn Eastwood
Banda sonora

PILEDRIVER WALTZ – Alex Turner
in “Submarine” de Richard Ayoade (2010)
Artigos recentes

Dos vícios antigos se faz...

Dos vícios antigos se faz...

Reavivar com música XIV

Reavivar com música XIII

Reavivar com música XII

Dos vícios antigos se faz...

Porque a cultura nunca fe...

E dia 30, no Porto, tudo ...

Reavivar com música XI

Reavivar com música X


NOTÍCIAS

OPINIÕES

Filmes
#
$9.99
(500) Days of Summer
12:08 A Este de Bucareste
127 Hours
13 (Tzameti)
1408
16 Blocks
2 Days in Paris
2046
21
21 Grams
25 Watts
3... Extremos
300
4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias
4ème Morceau de la Femme Coupée en Trois, Le
50/50
5x2
9 Songs

A
À l’Origine
À Tout de Suite
Aaltra
Abrazos Rotos, Los
Adam
Adeus, Dragon Inn
Ae Fond Kiss
Affaire Farewell, L’
Afterschool
Agents Secrets
Agony and the Ecstasy of Phil Spector, The
Ágora
After.Life
Alatriste
Albert Nobbs
Alex
Alexander
Alfie
Alice In Wonderland
All The Invisible Children
Amants Réguliers, Les
American, The
American Gangster
American Splendor
Amor Idiota
Amours Imaginaires, Les
An Education
An Obsession
Ana Y Los Otros
Anche Libero Va Bene
Angel-A
Anges Exterminateurs, Les
Answer Man, The
Anthony Zimmer
Antichrist
Apocalypto
Approaching Union Square
Après Vous...
Arnacoeur, L’
Arsène Lupin
Artist, The
Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford, The
Assassination of Richard Nixon, The
Astronaut Farmer, The
Asylum
Atonement
Ausentes
Aventures Extraordinaires d'Adèle Blanc-Sec, Les
Aviator, The
Away We Go
Azuloscurocasinegro

B
Baader-Meinhof Komplex, Der
Babel
Babies
Backstage
Ballad of Jack and Rose, The
Banquet, The
Barney’s Version
Basic Instinct 2
Batman Begins
Battle in Seattle
Be Kind Rewind
Bee Movie
Before Sunset
Before the Devil Knows You’re Dead
Beginners
Being Julia
Belle Bête, La
Belleville Rendez-Vous
Big Bang Love, Juvenile A
Big Fish
Birth - O Mistério
Black Swan
Blade Runner
Blindness
Blood Diamond
Blue Valentine
Boat That Rocked, The
Bobby
Body of Lies
Bocca del Lupo, Las
Borat
Born Into Brothels
Bourne Ultimatum, The
Box, The
Boxing Day
Boy in the Striped Pyjamas, The
Boys are Back, The
Brave One, The
Breach
Breakfast on Pluto
Breaking and Entering
Brick
Brokeback Mountain
Broken Flowers
Brothers Bloom, The
Brothers Grimm, The
Brüna Surfistinha
Brüno
Burn After Reading
Butterfly Effect

C
Caché
Caimano, Il
Camping Sauvage
Candy
Canino - Kynodontas
Capitalism: A Love Story
Capote
Caramel
Carandiru
Carlos
Carnage
Carne Fresca, Procura-se
Cartouches Gauloises
Casanova
Casino Jack
Casino Royale
Caos Calmo
Castro
C’est Pas Tout à Fait la Vie Dont J’avais Rêvé
Chamada Perdida, Uma
Changeling
Chansons d’Amour
Chaos
Chaos Theory
Charlie and the Chocolate Factory
Charlie Wilson's War
Che: El Argentino
Che: Guerrilla
Chefe Disto Tudo, O - Direktøren for det Hele
Chico & Rita
Children of Men
Chloe
Choke
City of Life and Death
Client 9: The Rise and Fall of Eliot Spitzer
Climas - Iklimer
Closer - Perto Demais
Cloudy With A Chance Of Meatballs
Coco Avant Chanel
Cœurs
Coffee and Cigarettes
Coisa Ruim
Cold Souls
Collateral
Collector, The
Combien Tu M’Aimes?
Comme une Image
Concert, Le
Condemned, The
Constant Gardener, The
Control
Copying Beethoven
Corpse Bride
Couperet, Le
Couples Retreat
Crash
Crazy, Stupid, Love.
Crimen Ferpecto
Crimson Gold
Crónicas
Crónicas de Narnia, As
Curious Case of Benjamin Button, The
Curse of the Golden Flower

D
Da Vinci Code, The
Dangerous Method, A
Dans Paris
Darjeeling Limited, The
Dark Knight, The
De Tanto Bater o Meu Coração Parou
Dead Girl, The
Dear Wendy
Death of Mr. Lazarescu, The
Death Proof (S), Death Proof (R)
Debt, The
Deixa-me Entrar
Déjà Vu
Delirious
Departed, The
Descendants, The
Despicable Me
Derailed
Destricted
Dialogue Avec Mon Jardinier
Diarios de Motocicleta
Die Hard 4.0
Disturbia
Do Outro Lado
Don’t Come Knocking
Dorian Gray
Doublure, La
Drama/Mex
Drawing Restraint 9
Dreamgirls
Dreams on Spec
Drive

E
Eamon
Eastern Promises
Easy Rider
Edge of Love, The
Educación de las Hadas, La
Edukadores, Os
Elegy
Elizabeth: The Golden Age
Elizabethtown
En la Cama
Enfant, L’
Ensemble, C’est Tout
Enter The Void
Entre Les Murs
Entre os Dedos
Entre Ses Mains
Eternal Sunshine of the Spotless Mind
Être et Avoir
Eu Servi o Rei de Inglaterra
Evening
Everything is Illuminated
Exit Through the Gift Shop
Extremely Loud & Incredibly Close

F
Factory Girl
Fahrenheit 9-11
Family Stone, The
Fantastic Mr. Fox
Fast Food Nation
Faute à Fidel, La
Ferro 3
Fighter, The
Fille Coupée en Deux, La
Fille du Juge, La
Fils de L’Épicier, Le
Final Cut, The
Find Me Guilty
Finding Neverland
Fish Tank
Five Minutes of Heaven
Flags Of Our Fathers
Flores de Otro Mundo
Flushed Away
Fountain, The
Forgotten, The
Fracture
Frágeis
Frank Zappa - A Pioneer of the Future of Music Part I & II
Frankie
Freedomland
Fresh Air
Frost/Nixon
Frozen Land

G
Gabrielle
Gainsbourg (Vie Héroïque)
Garden State
Géminis
Genesis
Gentille
George Harrison: Living in the Material World
Get Smart
Gigantic
Ghost Dog - O Método do Samurai
Ghost Town
Ghost Writer, The
Girl From Monday, The
Girl With a Pearl Earring
Girlfriend Experience, The
Go Go Tales
Gomorra
Gone Baby Gone
Good German, The
Good Night, And Good Luck
Good Shepherd, The
Good Year, A
Graduate, The
Graine et le Mulet, La
Gran Torino
Grande Silêncio, O
Gravehopping
Green Lantern
Grbavica

H
Habana Blues
Habemus Papam
Habitación de Fermat, La
Half Nelson
Hallam Foe
Hanna
Happening, The
Happy Endings
Happy-Go-Lucky
Hard Candy
Harsh Times
He Was a Quiet Man
Hedwig - A Origem do Amor
Héctor
Hellboy
Hellboy II: The Golden Army
Help, The
Herbes Folles, Les
Hereafter
History of Violence, A
Hoax, The
Holiday, The
Home at the End of the World, A
Host, The
Hostel
Hotel Rwanda
Hottest State, The
House of the Flying Daggers
How To Lose Friends & Alienate People
Howl
Humpday
Hunger
Hurt Locker, The
Hustle & Flow
I
I Am Legend
I Could Never Be Your Woman
I Don’t Want To Sleep Alone
I Heart Huckabees
I Love You Phillip Morris
I’m Not There
I’m Still Here
Ice Age - The Meltdown
Ice Harvest, The
Ides of March, The
If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front
Illusionist, The
Illusioniste, L’
Ils Ne Mouraient Pas Tous Mais Tous Étaient Frappés
Imaginarium of Doctor Parnassus, The
Immortel (ad vitam)
In a Better World - Hævnen
In Bruges
In Good Company
In Her Shoes
In The Loop
In the Valley of Elah
In Time
Inception
Inconvenient Truth, An
Incredible Hulk, The
Incredibles, The
Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull
Indigènes - Dias de Glória
Infamous
Informant!, The
Informers, The
Inglourious Basterds
Inland Empire
Inner Life of Martin Frost, The
Inside Man
Intermission
Interpreter, The
Interview
Into the Wild
Introspective
Io Sono L’Amore
Iron Lady, The
Iron Man
Island, The
It Happened Just Before
It Might Get Loud
Ivresse du Pouvoir, L’

J
J. Edgar
Jacket, The
Japanese Story
Jarhead
Je Ne Suis Pas La Pour Être Aimé
Je Préfère Qu’on Reste Amis
Jeux d’Enfants
Jindabyne
Julie & Julia
Juno
Just Like Heaven
Juventude em Marcha

K
Kids Are All Right, The
Kill List
King Kong
King’s Speech, The
Kiss Kiss Bang Bang
Klimt
Knight and DayKovak Box, The

L
Laberinto del Fauno, El
Lady in the Water
Lake House, The
Land of Plenty
Lars and the Real Girl
Last King of Scotland, The
Last Kiss, The
Last Night
Last Station, The
Leatherheads
Letters From Iwo Jima
Levity
Libertine, The
Lie With Me
Life Aquatic with Steve Zissou, The
Life During Wartime
Life is a Miracle
Lions For Lambs
LIP, L’Imagination au Pouvoir, Les
Lisboetas
Little Children
Little Miss Sunshine
Livro Negro - Zwartboek
Left Ear
Lonely Hearts
Long Dimanche de Fiançailles, Un
Lost in Translation
Lou Reed's Berlin
Louise-Michel
Love Conquers All
Love and Other Drugs
Love in the Time of Cholera
Love Song for Bobby Long, A
Lovebirds, The
Lovely Bones, The
Lucky Number Slevin
Luna de Avellaneda
Lust, Caution

M
Machete
Madagascar
Made in Dagenham
Mala Educación, La
Malas Temporadas
Mammuth
Man About Town
Man On Wire
Management
Manuale d’Amore
Maquinista, O
Mar Adentro
Margin Call
Margot at the Wedding
Maria Cheia de Graça
Marie Antoinette
Martha Marcy May Marlene
Mary
Match Point
Me And You And Everyone We Know
Meek's Cutoff
Melancholia
Melinda and Melinda
Memórias de uma Geisha
Men Who Stare at Goats, The
Método, El
Mi Vida Sin Mí
Michael Clayton
Micmacs à Tire Larigot
Midnight in Paris
Milk
Million Dollar Baby
Mio Fratello è Figlio Unico
Moine, Le
Momma’a Man
Moneyball
Monster
Moon
Morning Glory
Mother (Madeo)
Mother, The
Moustache, La
Mozart and the Whale
Mrs Henderson Presents
Mujer Sin Cabeza, La
Munique
Music & Lyrics
My Blueberry Nights
My Week With Marilyn
My Son, My Son, What Have Ye Done
Mysterious Skin

N
Nana, La
Nathalie
Ne Le Dis À Personne
Ne Te Retourne Pas
NEDS
New World, The
Ni pour, ni contre (bien au contraire)
Niña Santa, La
Night Listener, The
Night on Earth
Nightmare Before Christmas, The
Ninguém Sabe
No Country For Old Men
No Reservations
No Sos Vos, Soy Yo
Nombres de Alicia, Los
North Country
Notes on a Scandal
Number 23, The

O
Ocean’s Thirteen
Odore del Sangue L’
Offside
Old Joy
Oldboy
Oliver Twist
Once
Onda, A - Die Welle
Ondine
Orgulho e Preconceito
Orly

P
Pa Negre (Pan Negro)
Painted Veil, The
Palais Royal!
Para Que No Me Olvides
Paradise Now
Paranoid Park
Parapalos
Paris
Paris, Je T’Aime
Passager, Le
Passenger, The (Professione: Reporter)
Patti Smith - Dream of Life
Perder Es Cuestión de Método
Perfume: The Story of a Murderer
Persépolis
Personal Velocity
Petite Lili, La
Piel Que Habito, La
Pink
Pirates of the Caribbean: Dead Man’s Chest
Planet Terror
Playtime
Please Give
Post Mortem
Poupées Russes, Les
Prairie Home Companion, A
Precious: Based on the Novel ‘Push’ by Sapphire
Prestige, The
Presunto Culpable
Pretty In The Face
Prophète, Un
Promeneur du Champ de Mars, Le
Promotion, The
Proof
Proposition, The
Prud'Hommes
Public Enemies

Q
Quantum of Solace
Quatro Noites Com Anna
Queen, The
Quelques Jours en Septembre
Qui M’Aime Me Suive

R
Rabia
Rachel Getting Married
Raison du Plus Faible, La
Ratatouille
Re-cycle
Reader, The
Red Eye
Red Road
Redacted
Refuge, Le
Religulous
Reservation Road
Reservoir Dogs
Resident, The
Restless
Revenants, Les
Revolutionary Road
Ring Two, The
Road, The
Road To Guantanamo, The
Rois et Reine
Rôle de sa Vie, Le
Romance & Cigarettes
Rubber
Rum Diary, The
S
Sabor da Melancia, O
Safety of Objects, The
Salt
Salvador (Puig Antich)
Samaria
Sauf Le Respect Que Je Vous Dois
Savages, The
Saw
Saw II
Saw III
Scaphandre et le Papillon, Le
Scanner Darkly, A
Science des Rêves, La
Sconosciuta, La
Scoop
Scott Pilgrim vs. The World
Secret Window
Secreto de Sus Ojos, El
Selon Charlie
Sem Ela...
Semana Solos, Una
Señora Beba
Sentinel, The
Separação, Uma - Jodaeiye Nader az Simin
Séptimo Día, El
Séraphine
Seres Queridos
Serious Man, A
Sex is Comedy
Sexualidades - En Soap
S&Man
Shady Grove
Shame
Shattered Glass - Verdade ou Mentira
She Hate Me
Shooting Dogs
Shopgirl
Shortbus
Shrek 2
Shrek The Third
Shrink
Shutter Island
Sicko
Sideways
Silence de Lorna, Le
Silk
Simpsons Movie, The
Sin City
Single Man, A
Sky Captain and the World of Tomorrow
Slumdog Millionaire
Smart People
Social Network, The
Soeurs Fâchées, Les
Soledad, La
Solitudine dei Numeri Primi, La
Somewhere
Son of Rambow
Sonny
Snow
Snow Cake
Spanglish
Spread
Squid and the Whale, The
Star Trek
Still Life
Stop Making Sense
Stranger Than Fiction
Strings
Submarine
Sunshine
Super 8
Sweeney Todd
Syriana

T
Tabloid
Tarnation
Tartarugas Também Voam, As
Taxidermia
Te Doy Mis Ojos
Temps du Loup, Le
Temps Qui Changent, Les
Temps Qui Reste, Le
Temporada de Patos
Teta Asustada, La
Thank You For Smoking
There Will Be Blood
This Is England
This Movie Is Broken
This Must Be The Place
Thirst
Thor
Three Burials of Melquiades Estrada, The
Thumbsucker
Tideland
Tigre e la Neve, La
Time Traveler's Wife, The
Tinker, Tailor, Soldier, Spy
To Take A Wife
Todos os Outros – Alle Anderen
Tonite Let's All Make Love in London
Tournée
Toy Story 3
Transamerica
Transsiberian
Travaux, On Sait Quand Ça Commence
Tree of Life, The
Très Bien, Merci
Três Macacos, Os
Trilogia Lucas Belvaux
Triple Agent
Tristram Shandy: A Cock and Bull Story
Tropa de Elite
Tropa de Elite 2
Tropic Thunder
Tropical Malady
Trust the Man
Tsotsi
Tueur, Le

U
United States of Leland
Unknown
Untergang, Der - A Queda
Up
Up In The Air

V
V For Vendetta
Vacancy
Valkyrie
Valsa com Bashir
Vanity Fair
Vantage Point
Vera Drake
Vers Le Sud
Vicky Cristina Barcelona
Vida Secreta de las Palabras, La
Vidas dos Outros, As (Das Leben der Anderen)
Vie en Rose, La
Village, The
Vipère au Poing
Visitor, The
Viva
Volver

W
Walk Hard: The Dewey Cox Story
Walk the Line
WALL-E
War, Inc.
War of the Worlds
Wassup Rockers
Waste Land - Lixo Extraordinário
Watchmen
What a Wonderful Place
What the #$*! Do We (K)now!?
Whatever Works
When in Rome
Where the Truth Lies
Where The Wild Things Are
Whip It
Whisky
We don’t care about music anyway…
We Dont’t Live Here Anymore
Weisse Band, Das – O Laço Branco
Wide Awake
Wilbur Wants to Kill Himself
Wind That Shakes The Barley, The
Winter’s Bone
Woman Under The Influence, A
Woodsman, The
World, The
World Trade Center
Wrestler, The

X
X-Files: I Want To Believe, The
X-Men: First Class
X-Men Origins: Wolverine

Y
Yo Soy La Juani
Young Adult
Youth in Revolt
Youth Without Youth

Z
Zack And Miri Make A Porno

Zodiac
Arquivo

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Outubro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Festivais e Prémios
- FANTASPORTO
- FESTROIA
- INDIE LISBOA
- FESTIVAL DE CINEMA GAY E LÉSBICO DE LISBOA
- FESTIVAL INTERNACIONAL DE CURTAS METRAGENS DE VILA DO CONDE
- DOCLISBOA
- CINANIMA
- CineECO
- FamaFEST
- FICA
- FESTIVAL DE CINEMA LUSO-BRASILEIRO DE SANTA MARIA DA FEIRA
- fest | FESTIVAL DE CINEMA E VÍDEO JOVEM DE ESPINHO
- CAMINHOS DO CINEMA PORTUGUÊS
- FESTIVAL DE CANNES
- LES CÉSAR DU CINEMA
- PREMIOS GOYA
- FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE DONOSTIA - SAN SEBASTIAN
- LA BIENNALE DI VENEZIA
- FESTIVAL INTERNAZIONALE DEL FILM - LOCARNO
- INTERNATIONALE FILMSPIELE BERLIN<
- BAFTA
- LONDON FILM FESTIVAL
- EDINBURGH INTERNATIONAL FILM FESTIVAL
- OSCAR
- SUNDANCE FILM FESTIVAL
- GOLDEN GLOBES
- NEW YORK FILM FESTIVAL
- SAN FRANCISCO FILM FESTIVAL
- TORONTO INTERNATIONAL FILM FESTIVAL
- MONTRÉAL WORLD FILM FESTIVAL
- ROTTERDAM INTERNATIONAL FILM FESTIVAL