CRÍTICA E OPINIÃO SOBRE CINEMA
Sexta-feira, 29 de Junho de 2007
The Dead Girl ****

Realização: Karen Moncrieff. Elenco: Josh Brolin, Rose Byrne, Toni Collette, Bruce Davison, James Franco, Marcia Gay Harden, Mary Beth Hurt, Piper Laurie, Brittany Murphy, Giovanni Ribisi, Nick Searcy, Mary Steenburgen. Kerry Washington. Nacionalidade: EUA, 2006.





“The Dead Girl” é um filme negro e cheio de raiva focado na violência sobre as mulheres e nas suas consequências cíclicas. Marcado desde o início pela imagem nua, sangrada e brutal de um corpo, da qual uma onda de tristeza se alastra em diversas direcções. Em vez de uma investigação policial, a realizadora e argumentista Karen Moncrieff (“Blue Car”, 2002) analisa as consequências sobre a vida de quatro mulheres, numa estrutura episódica impregnada de significado.


Todas estas mulheres se encontram isoladas, de alguma forma, do mundo que a rodeia, em virtude de várias formas de violência. Apesar da ligação clara entre elas, Moncrieff mantém-nas isoladas na suas histórias particulares. Cada um dos cinco episódios recebe o seu título da mulher que constitui o seu ponto de vista, mas são, todos eles, impessoais. THE STRANGER acompanha Arden (Toni Collette), que encontra o corpo da rapariga morta, e a sua agressiva mãe (Piper Laurie). THE SISTER, Leah (Rose Byrne), uma jovem estudante de medicina forense encarregue de analisar o corpo da vítima e irmã desapareceu há mais de 15 anos. THE WIFE, Ruth (Mary Beth Hurt), a negligenciada esposa de um homem egoísta e insensível. THE MOTHER, Melora (Marcia Gay Harden), a desesperada mãe da rapariga morta. E, finalmente, a própria THE DEAD GIRL, Krista (Brittany Murphy).


No meio da tragédia destas vidas, Moncrieff consegue, com grande sensibilidade, encontrar-lhes beleza e significado. Michael Grady filma sobretudo em interiores, fazendo um uso expressivo e doloroso dos grandes planos. Mas Moncrieff consegue em breves momentos libertar-nos dos ambientes opressivos, para que possamos respirar antes de voltarmos a mergulhar com as personagens no seu desespero e desesperança.


Aos fortes diálogos e ao bom ritmo da montagem, junta-se um conjunto de fortes interpretações, que deixam, no final, a curiosidade de ver algumas destas histórias exploradas em maior detalhe. Entre a histeria e a calma sepulcral, entre a amoralidade e o remorso, “The Dead Girl” é um filme perturbantemente duro.






realizado por Rita às 01:35
link do post | comentar

Quinta-feira, 28 de Junho de 2007
Shrek The Third ***

Realização: Chris Miller e Raman Hui. Vozes V.O.: Mike Myers (Shrek), Eddie Murphy (Donkey), Cameron Diaz (Princesa Fiona), Antonio Banderas (Puss in Boots), Julie Andrews (Rainha Lilian), John Cleese (Rei Harold), Rupert Everett (Princípe Charming), Eric Idle (Merlin), Justin Tiberlake (Artie), Susan Blakeslee (Rainha Má), Condy Cameron (Pinocchio/Three Pigs/Ogre Baby/Bohort), Larry King (Doris), Ian McShane (Captain Hook). Nacionalidade: EUA, 2007.





Na terceira viagem ao mundo de Far Far Away, encontramos o Rei Harold (John Cleese) no seu leito de morte, informando Shrek (Mike Meyers) que ele é o herdeiro ao trono. Recusando assumir uma tarefa que o assusta, Shrek consegue ainda saber que a única outra pessoa que poderia reclamar legitimamente o trono seria um jovem de seu nome Arthur (Justin Timberlake). Muito a contragosto da Princesa Fiona (Cameron Diaz), que acaba de saber que está grávida, Shrek parte, com Donkey (Eddie Murphy) e Puss in Boots (Antonio Banderas), em busca de Arthur.


Entretanto, o Príncipe Charming (Rupert Everett), reduzido a fazer cafés-concerto, jura perante a foto da sua mãe vingar-se de Shrek e Fiona e reclamar para si o trono de Far Far Away. O seu plano inclui aliar a si um grupo de vilões de contos de fada (a Bruxa Má e o Capitão Gancho, entre outros), desejosos também eles do seu próprio “e viveram felizes para sempre”.


Sem a ajuda de Shrek, Fiona e a Rainha Lilian (Julie Andrews) juntam um grupo de donzelas, onde se inclui Rapunzel (Maya Rudolph), Branca de Neve (Amy Poehler), Cinderela (Amy Sedaris) e uma narcoléptica Bela Adormecida (Cheri Oteri) para defenderem o castelo.


“Shrek The Third” é inferior que os seus antecessores sobretudo a nível do texto. O humor é mais fácil e, em demasiadas ocasiões, previsível. A banda sonora está longe de ser brilhantemente adaptada às situações, e nenhuma das novas personagens é tão encantadora como o Puss in Boots (Antonio Banderas) de “Shrek 2”. Ainda assim, “Shrek The Third” funciona. Primeiramente, porque tem o cuidado de fazer evoluir as suas personagens principais; depois, porque as novas personagens secundárias conseguem, em termos globais, cativar-nos pelas suas idiossincrasias. Aqui está compreendida a integração de mais um ex-Monty Python, Eric Idle, na voz de Merlin e com inegáveis parecenças físicas.


A sátira à cultura actual não é tão acutilante como anteriormente, mas a visita a este “anti-conto-de-fadas” continua a ser um prazer para os sentidos. Porque às vezes não precisamos de desculpas elaboradas para rir.


P.S.- Não vale a pena ficaram na sala após a primeira parte do genérico, desta feita não há surpresas.






realizado por Rita às 23:22
link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 27 de Junho de 2007
The Banquet **

T.O.: Ye Yan. Realização: Feng Xiaogang. Elenco: Zhang Ziyi, Daniel Wu, Zhou Xun, Ge You, Ma Jingwu, Huang Xiaoming. Nacionalidade: China, 2006.





O cinema asiático está a esgotar a fórmula mágica dos efeitos visuais luxuriantes aplicados a histórias trágicas com amor à mistura (ou trágicas porque com amor). Sem o efeito novidade de “Crouching Tiger, Hidden Dragon” nem a poesia de “Hero” ou a bela narrativa de “House of Flying Daggers”, “Curse of the Golden Flower” anunciava já um decréscimo na qualidade global daquilo que começa a ser uma clara tipologia. Infelizmente, “The Banquet” continua essa senda, apesar de repetir alguma da equipa técnica dos primeiros dois filmes.


Numa livre interpretação de Hamlet, transposta para a Dinastia Tang na China do Século X, no instável período das Cinco Dinastias e Dez Reinos, um Imperador é assassinado pelo seu próprio irmão, Li (You Ge), que usurpa o trono, bem como a sua jovem e viúva cunhada, a Imperatriz Wan (Zhang Ziyi), e manda matar o seu sobrinho (e enteado da Imperatriz), o príncipe Wu Luan (Daniel Wu), legítimo herdeiro do trono e um melancólico actor que vive longe de casa. Decidido a obter justiça, o príncipe Wu Luan regressa à corte, onde o espera a sua prometida Qing (Xun Zhou), filha do Ministro Yin (Jingwu Ma), e irmã do impulsivo General Yin (Xiaoming Huang).


“The Banquet” está marcado pela força do destino, mas não precisaria ser tão previsível. Nem o intrigante final consegue salvar este filme de um tédio instaurado por um dramatismo que não consegue, em nenhum momento, cativar as nossas emoções. As personagens são motivadas pelo desejo, mas tirando a intensidade erótica de Zhang Ziyi, o abismo a que o seu instinto de sobrevivência a conduz nunca nos surge como verdadeiramente assustador (e ficamos a pensar no que uma Gong Li teria feito).


Com um design de produção, um guarda-roupa e uma coreografia de excepção, “The Banquet” está filmado com um extremo bom gosto, fazendo uso das cores na dicotomia entre o bem e mal e sintetizando a essência da filosofia oriental nas texturas dos cinco elementos: madeira - metal - água - fogo - ar.


Um filme sobre a loucura da vingança e as emoções desmedidas precisaria ser bem mais do que um melodrama telenovelesco colmatado por uma enjoativa música a la Céline Dion.






realizado por Rita às 23:51
link do post | comentar | ver comentários (2)

Terça-feira, 26 de Junho de 2007
Le Temps Qui Reste ***1/2

Realização: François Ozon. Elenco: Melvil Poupaud, Jeanne Moreau, Valeria Bruni Tedeschi, Daniel Duval, Marie Rivière, Christian Sengewald, Louise-Anne Hippeau, Henri de Lorme, Ugo Soussan Trabelsi. Nacionalidade: França, 2005.





Como aproveitar o tempo que nos resta? Refazendo os laços e desatando os nós. Sentindo o sol na pele e um gelado nos lábios. Amando.






realizado por Rita às 22:34
link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 25 de Junho de 2007
Querida Wendy

“Dear Wendy” de Thomas Vinterberg estreia esta semana. Vão ver!








realizado por Rita às 20:30
link do post | comentar

Domingo, 24 de Junho de 2007
Pretty In The Face ***

Realização: Nate Meyer. Elenco: Meagan Moses, David Reynolds, Theresa Dyer, Nathan Amadon. Nacionalidade: EUA, 2007.





Maggie (Meagan Moses) é uma jovem de 26 anos que acabou de se mudar para casa do namorado, Ethan (Nathan Amadon), treinador de futebol e baterista. A sua normalidade, e os seus tabus, fazem-na recear tornar-se aborrecida para o seu namorado. Quando este a trai com a nova vocalista da banda, Maggie vê o seu frágil mundo desmoronar-se. Simultaneamente, Daniel (David Reynolds), o sobrinho de 14 anos de Ethan, tem uma conflituosa relação com a mãe, Kathy (Theresa Dyer). O excesso de peso desta é uma forte fonte de vergonha para Daniel, e um caos adicional para a sua crise adolescência e descoberta sexual.


Uma sucessão de acontecimentos leva Maggie e Daniel a aproximarem-se. O corpo está no centro das inseguranças de ambos, que se recusam a deixar os seus sentimentos, inseguranças e vulnerabilidades à vista de todos. O ressentimento que projectam à sua volta acaba por ser o elo de ligação de uma improvável empatia.


Meyer trabalha as personagens com atenção, dando-lhes consistência no meio de humanas contradições. Um drama intimista, onde um dos conceitos de êxito prevalecentes na nossa sociedade – o da conquista sexual – é dolorosamente posto em causa.






CITAÇÕES:


“Success with women... What does that mean? Why can’t it be success to be only with one?”
MEAGAN MOSES (Maggie)






realizado por Rita às 23:46
link do post | comentar

Quinta-feira, 21 de Junho de 2007
Approaching Union Square ***

Realização: Marc Meyers. Elenco: Katie Kreisler, Darren Pettie, Jennifer Miranda Holmes, Bobby Pataki, Victoria Haas, Brent Crawford, Peter McCain, Christine Elise, Beth Manspeizer, Michael Goldstrom. Nacionalidade: EUA, 2006.





“Approaching Union Square” é a adaptação do realizador Marc Meyers da sua peça de teatro "Love & Sex: Tales From the Trenches". Construída à base de monólogos retrata diversas facetas da angústia urbana, através de onze passageiros de um mesmo autocarro em Nova Iorque.


O filme começa com Dyanne (Katie Kreisler) numa sessão de terapia tentando lidar com o que ela acha serem poderes psíquicos que a avisam de grandes tragédias. Depois da consulta, Dyanne entra num autocarro, onde se encontra uma dezena de passageiros. A câmara digital de Meyers vai espreitando um pormenor da vida de cada uma destas pessoas, contrastando a viagem colectiva com a confissão individual.


Entre eles, encontra-se Nathan (Darren Pettie), um homem viciado em sexo que assiste à sua primeira sessão de terapia de grupo. Stefani (Jennifer Miranda Holmes) conta ao seu grupo de amigas como conheceu o seu mais recente namorado. Brad (Brent Crawford) debate-se com o dilema de ir ver uma ex-namorada que se encontra hospitalizada em resultado de um cancro. Leonard (Michael Goldstrom) tenta terminar a sua actual relação amorosa. Silvio (Bobby Pataki) é um actor pouco conhecido que aproveita uma entrevista para demonstrar a sua falta de humildade. Adrianna (Christine Elise) conta à sua companheira de apartamento sobre um homem que quase conheceu. Heidi (Victoria Haas) decide terminar uma relação adúltera. Patricia Randell interpreta uma mulher que, fechada num estranho sonho, tenta perceber o que falhou na relação com os seus pais.


A solidão é a nota marcante em todas estas histórias. Um isolamento que se sente ser provocado pela própria cidade. Como crianças, todos tentam aprender a estabelecer ligações com os que os rodeiam, num mundo onde a comunicação (e o amor como a sua forma mais extrema) e a alienação convivem num estranho paradoxo.


Numa estrutura que lembra a de “Night on Earth” de Jim Jarmusch, Meyers mostra os mundos que se escondem atrás dos desconhecidos com que todos os dias nos cruzamos, com as suas tragédias e os seus amores, tão diferente e tão semelhantes aos nossos.


Uma nota para a banda sonora, que inclui, entre outros, Rachael Yamagata, Slow Runner, Goat, Eddie Tadross, Eliane Amherd, Stiffed e Preacher Boy, muitos deles descobertos por Meyers numa pesquisa de artistas nova iorquinos feita no myspace.com.






realizado por Rita às 23:35
link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 20 de Junho de 2007
Lojas

Não desfazendo nas restantes lojas da especialidade, como é o caso da CineCittá e da Cinemascope, até porque foi desta que veio a minha claquete, vejo-me “obrigada” (por via dos meus instintos salivares) a divulgar a abertura da Vertigo Store, no Porto.


Assim, de repente, quero estas:






Ah, mas esperem, também quero isto!
... e isto!






realizado por Rita às 09:03
link do post | comentar | ver comentários (2)

Terça-feira, 19 de Junho de 2007
The Lovebirds *

Realização: Bruno de Almeida. Elenco: Michael Imperioli, John Ventimiglia, Joaquim de Almeida, Drena De Niro, Nick Sandow, Rogério Samora, Ana Padrão, Marcello Urgeghe, Dmitry Bogomolov, Cleia Almeida, John Frey, Fernando Lopes. Nacionalidade: EUA / Portugal, 2007.





Foi com “The Lovebirds” de Bruno de Almeida, que o Lisbon Village Festival deu início, a noite passada, ao festival de cinema digital. No meio de tanto show off de estrelas, onde se incluía o produtor Joe Berardo (que teve direito a um cameo), o filme foi apenas mais um.


A opção pelo digital deveria obedecer a duas premissas: (1) fazer sentido, (2) e ser feita com sentido. E se aqui o sentido foi responder com rapidez e poucos custos à encomenda realizada pelo Lisbon Village Festival, isso não veio beneficiar em nada nem a obra nem Lisboa, que parece ser a única motivação das histórias relatadas. Por trás delas não existe qualquer necessidade, e tirando alguns interessantes pedaços de diálogo, as narrativas são demasiado fracas para se sustentarem individualmente. Mesmo as tiradas espirituosas se perdem num som mal trabalhado que chega, nas cenas corais, a ser ensurdecedor. O manuseamento da câmara, que poderia incutir um certo tom de realismo, torna-se perturbantemente cansativo, enquanto os planos estáticos – os mais estéticos – estão tão isentos de vida que Lisboa não se reconhece a si mesma.


Tendo em conta o fraco argumento que sustém estas personagens, os actores fizeram o melhor que podiam, e de facto o cabeça de elenco Michael Imperioli (“The Sopranos”) é o que melhor se aguenta, a par de Rogério Samora numa deliciosa contracena com o realizador Fernando Lopes (a quem Bruno de Almeida dedicou o filme no final). Ana Padrão esforçou o seu mau sotaque inglês, mas é muito difícil achá-la credível numa típica mulher de Alfama. Quanto a Joaquim de Almeida e à sua assustadora dicção, sugiro umas legendas bilingues. E – porque também como espectadora detesto que me tomem por tonta – que tal deixar o subtexto no seu lugar em vez de o trazer para a boca das personagens, em discursos explicativos e inverosímeis?


Não sei se o facto de viver em Nova Iorque tornou o olhar de Bruno de Almeida sobre Lisboa menos emocional. Infelizmente, esta cidade, para ser entendida e expressada, exige uma abordagem feita desde esse lugar íntimo. Só espero que ninguém se deixe enganar: Lisboa é muito mais (e muito mais bela) do que “The Lovebirds”.






realizado por Rita às 08:49
link do post | comentar | ver comentários (5)

Segunda-feira, 18 de Junho de 2007
O Estado do Mundo


"Luminous People" de Apichatpong Weerasethakul (Tailândia), "Germano" de Vicente Ferraz (Brasil), "One Way" de Ayisha Abraham (Índia), "Brutality Factory" de Wang Bing (China), "Tarrafal" de Pedro Costa (Portugal), e "Tombée de Nuit sur Shangaï - Avril 2007" de Chantal Akerman (França).


“O Estado do Mundo” é um filme feito de olhares sobre seis particulares realidades actuais. Uma tentativa de síntese, que, pela diferença dos resultados (o destaque vai para as obras brasileira e indiana), acaba por ser inconsistente, frustrante e mesmo inconsequente.



Se quiserem realmente saber o que se passa no mundo, aconselho a visita à exposição O CORPO HUMANO - COMO NUNCA O VIU, a decorrer no Palácio dos Condes do Restelo até Setembro, e o livro ‘O FIM DA POBREZA’ do economista americano Jeffrey Sachs.


Entre o micro e o macro são, respectivamente, a experiência mais didáctica e a leitura mais importante dos tempos que correm.








realizado por Rita às 08:43
link do post | comentar

Domingo, 17 de Junho de 2007
Música de domingo


 

“BOA SORTE / GOOD LUCK”
dueto de Vanessa da Mata com Ben Harper


 



 



realizado por Rita às 15:51
link do post | comentar | ver comentários (1)

Sábado, 16 de Junho de 2007
The Astronaut Farmer **

Realização: Michael Polish. Elenco: Billy Bob Thornton, Virginia Madsen, Max Thieriot, Jasper Polish, Logan Polish, Bruce Dern, Mark Polish, Jon Gries, Tim Blake Nelson, Sal Lopez, J.K. Simmons, Kiersten Warren, Robert E. Fleischer. Nacionalidade: EUA, 2006.





Ainda estou para perceber como é que um grupo de bons profissionais se presta a gastar o seu talento num telefilme enjoativo como “The Astronaut Farmer”. Especialmente tendo em conta as referências dos gémeos Michael e Mark Polish de obras de qualidade como “Twin Falls Idaho” (1999) e “Northfork” (2003). Mas, em vez de um ponto de vista original sobre o poder dos sonhos (na dicotomia entre o seu lado mais inspirador e o mais destrutivo), tem-se um exaustivo conjunto de clichés sobre um herói americano.


Charles Farmer (Billy Bob Thornton) é um rancheiro texano, que deixou a sua carreira de engenheiro aeroespacial na força aérea e a caminho da NASA quando uma tragédia atingiu a sua família. Mas o seu sonho de ir ao espaço não desapareceu, e o seu celeiro foi transformado num hangar para um foguetão caseiro. A sua determinação em se lançar no espaço, orbitar umas quantas vezes em redor do planeta e regressar a casa recebe todo o apoio da sua mulher, Audrey (Virginia Madsen), e dos seus três filhos, Shepard (Max Thieriot), Stanley (Jasper Polish, filha de Michael) e Sunshine (Logan Polish, filha de Mark); ignorantes das dificuldades financeiras em que o projecto de Farmer os colocou a todos.


Quando Farmer tenta comprar a grande quantidade de combustível necessária para o lançamento, o FBI, a NASA e os media são alertados para este acontecimento surreal, indecisos entre classificá-lo como louco ou como uma ameaça à segurança nacional. Os oficiais da NASA, em concreto, torcem pelo falhanço de Farmer, uma vez que o seu exorbitante orçamento seria alvo de fortes críticas se um simples civil conseguisse fazer o mesmo que eles no seu próprio quintal e colocando o filho de 15 anos a controlar a missão a partir de uma auto-caravana.


A realização do argumento conjunto está a cargo de Michael, enquanto Mark interpreta o papel de um dos agentes do FBI enviado para supervisionar Farmer (a dupla mais interessante do filme). Mas aquilo que começa por ser um olhar interessante sobre o dilema entre liberdade e responsabilidade, sobre a dimensão doentia da suspeição governamental norte-americana (especialmente tendo em conta a “impossibilidade de insucesso” que marca a sua filosofia militar), termina num escalar de ingenuidade totalmente incredível.


Farmer ignora deliberadamente as necessidades – e as vidas! – que põe em risco, inclusive as da sua família, que, apesar do seu egoísmo galopante se recusa a fazê-lo enfrentar a realidade, uma compaixão que vai para lá do (ir)razoável. A personagem de Madsen, apesar de uns rasgos de personalidade própria, acaba por se auto-anular de uma forma quase dolorosa de assistir. É o homem fazendo os seus disparates infantis e egoístas, enquanto a mulher o desculpa e protege num amor totalmente desequilibrado.


Da mesma forma que, para Farmer, o potencial destrutivo das suas acções é irrelevante, ele atingir ou não o seu sonho tornou-se para mim, como espectadora, completamente irrisório. Minto, o seu egoísmo fez-me afastar de tal maneira desta personagem que o seu falhanço começou a desenhar-se como o melhor final de todos. No entanto, tenho algumas dúvidas que fosse essa a intenção dos manos Polish. Um pouco à semelhança dos pioneiros do Oeste Americano, todos os sacrifícios parecem justificáveis face à loucura mortal de um sonho.


Muitas guerras começaram por muito menos...






CITAÇÕES:


“Will Beacon – Mr. Farmer, how do we know you aren't constructing a WMD?
Charles Farmer – Sir, if I was building a weapon of mass destruction, you wouldn't be able to find it.”
BILLY BOB THORNTON (Charles Farmer) e ROBERT E. FLEISHER (Will Beacon)


“Charles Farmer – Hey kid you know what you want to do when you grow up?
Criança – I dunno.
Charles Farmer – Well, better know what your going to do, before someone knows it for you.”






realizado por Rita às 11:43
link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 15 de Junho de 2007
Breach ***1/2

Realização: Billy Ray. Elenco: Chris Cooper, Ryan Phillippe, Laura Linney, Caroline Dhavernas, Gary Cole, Dennis Haysbert, Kathleen Quinlan, Bruce Davison, Jonathan Watton, Tom Barnett, Jonathan Potts. Nacionalidade: EUA, 2007.





Eric O’Neill (Ryan Phillippe) é um aspirante a agente do FBI colocado como assistente do agente Robert Hannsen (Chris Cooper) com o objectivo de arranjar provas das suas perversões sexuais, um embaraço para o FBI ao final de 25 anos de carreira. O’Neill é encarregado de vigiar todos os seus movimentos de Hannsen e reportar directamente à agente Kate Burroughs (Laura Linney).


Apesar de Hannsen ser arrogante, duro e até paranóico, O’Neill começa a duvidar da natureza da sua investigação. A sua extraordinária capacidade de ler as pessoas, o seu orgulho laboral, os seus fortes valores morais e a sua devoção religiosa, acabam por despertar admiração em O’Neill, que também partilha com Hannsen a desaprovação pela burocracia e os rígidos protocolos do FBI.


Perante esta hesitação, O’Neill é informado dos reais motivos por trás da sua investigação. Ao longo de mais de 20 anos, Hannsen vendeu segredos de estado ao regime soviético que resultaram na morte e prisão de vários agentes americanos, além de milhões de dólares de perdas materiais. O objectivo é apanhá-lo num acto de entrega de informação e utilizar a pena de morte como alavanca para a confissão.


“Breach” conta a história real dos últimos meses desta investigação e de como o FBI perseguiu e deteve um dos seus, com um esforço aparentemente superior ao das actividades de espionagem internacional.


Billy Ray (“Shattered Glass - Verdade ou Mentira”) realiza um filme sólido que, sem mistério inerente, consegue um bom nível de tensão. Para isso, o foco centrou-se na relação de Hannsen com O’Neill e nos jogos psicológicos para desmanchar os artifícios que cada um construiu à sua volta. Neste tour de force Chris Cooper é o elemento mais forte. Também frente a uma supreendentemente agressiva Laura Linney, a compentente prestação de Ryan Phillippe surge algo nublada.


Apesar de algumas opções de montagem deixarem incómodas pontas soltas, “Breach” apresenta situações mais reais, e menos espalhafatosas, que as típicas histórias de espiões, conseguindo uma interessante ambiguidade nas motivações que levaram Hannsen a trair o seu próprio país (eu própria se fosse americana, acho que também teria essa tentação...).






realizado por Rita às 08:56
link do post | comentar

Quinta-feira, 14 de Junho de 2007
Jusqu'ici tout va bien








“Jusqu'ici tout va bien.










Jusqu'ici tout va bien.










Jusqu'ici tout va bien.










Mais l'important c'est pas la chute...










c'est l'atterrissage.”










LA HAINE, de Mathieu Kassovitz (1995)





realizado por Rita às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 13 de Junho de 2007
Alatriste ***

Realização: Agustín Díaz Yanes. Elenco: Viggo Mortensen, Unax Ugalde, Eduardo Noriega, Ariadna Gil, Elena Anaya, Javier Cámara, Enrico Lo Verso, Juan Echanove, Eduard Fernández, Blanca Portillo. Nacionalidade: França / Espanha / EUA, 2006.





Condensando os cinco livros de Arturo Pérez-Reverte sobre as aventuras do ‘Capitão’ Alatriste, um espadachim a soldo, na Espanha do Século XVII, “Alatriste” é a produção mais cara do cinema espanhol, em redor da qual se juntou um elenco liderado pelo ‘estrangeiro’ (americano) Viggo Mortensen.


Da guerra na Flandres em 1622 até à de Rocroi em 1643, Alatriste é ainda envolvido em manipulações políticas e religiosas, ao ser encarregado de matar dois estrangeiros que chegam a Madrid. A cargo do filho de um companheiro de batalha, Íñigo (Unax Ugalde), o seu coração é testado pela adúltera actriz María de Castro (Ariadna Gil), enquanto a protecção do seu companheiro de armas Conde de Guadalmedina (Eduardo Noriega) será pesada com as exigências impostas pelo Conde Duque de Olivares (Javier Cámara), conselheiro do Rei Felipe IV.


Naquele que poderia servir para um bom retrato de Espanha, numa época sombria em que o império começava a desmoronar-se à conta de mercenários e intrigas palacianas, Agustín Díaz Yanes (“Sin Noticias de Dios”, 2001) opta por um drama pessoal centrado nas noções de honra e pátria. Mas nas lutas retratadas não existe heroísmo e a guerra assume o seu lado mais patético. O colorido romântico, veiculado por amores eternamente adiados, apenas acrescenta uma maior escuridão (que, por falta de um argumento verdadeiramente forte, nunca atinge o pretendido tom de tragédia).


Meio perdido entre o social e pessoal, Díaz Yanes não consegue que a transição entre cenas seja feita com fluidez. Em vez disso, sucessivos saltos temporais e geográficos, que pretendem abarcar demasiados acontecimentos, acabam por impedir que se forma na mente do espectador um todo coerente. O fio condutor é Alatriste, um homem corajoso, calculista, sentimental e pragmático ao qual Viggo Mortensen empresta o seu corpo e voz sussurrada, mas que está longe de ser a sua mais forte interpretação. Uma nota para dois actores celebrizados no país vizinho pela série televisiva “Siete Vidas”: Javier Cámara e Blanca Portillo, travestida no papel de Frei Emilio Bocanegra.


O visual Velazquiano, e a lembrar o ambiente das histórias de Dumas, é conseguido à conta de um grande trabalho de fotografia e iluminação por parte de Paco Femenia, de direcção de arte de Benjamín Fernández e de guarda-roupa de Francesca Sartori. Para 24 milhões de euros de financiamento, a ambição de Díaz Yanes não parece muita, mas o resultado final parece pouco.






CITAÇÕES:


“Los sobornos mantienen las bocas cerradas y las voluntades abiertas.”
EDUARDO NORIEGA (Conde de Guadalmedina)


“Cuenta lo que fuimos.”
EDUARD FERNÁNDEZ (Sebastián Copons)






realizado por Rita às 12:34
link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 12 de Junho de 2007
Yes, it's mine

Há tentações completamente irresistíveis. E eu sou uma miúda fraca... A única palavra que me vem à mente é “gula”.







realizado por Rita às 08:51
link do post | comentar | ver comentários (4)

Segunda-feira, 11 de Junho de 2007
Ocean’s Thirteen **1/2

Realização: Steven Soderbergh. Elenco: Brad Pitt, George Clooney, Matt Damon, Elliott Gould, Al Pacino, Eddie Jemison, Don Cheadle, Shaobo Qin, Casey Affleck, Scott Caan, Bernie Mac, Carl Reiner, Eddie Izzard, Ellen Barkin, Andy Garcia, Vincent Cassel, Julian Sands, David Paymer. Nacionalidade: EUA, 2007.





De regresso a Las Vegas, desta feita a troupe de Danny Ocean (George Clooney) quer mais do que dinheiro. O objectivo é vingarem o seu amigo e mentor Reuben Tishkoff (Elliot Gould), vítima de um ataque cardíaco por acção do usurpador Willie Bank (Al Pacino), que acaba de abrir um casino na cidade e pelo qual está decidido a arrecadar o prémio de qualidade.


Danny, Rusty (Brad Pitt), Linus (Matt Damon), Basher (Don Cheadle), Frank (Bernie Mac), Virgil (Casey Affleck), Turk (Scott Caan) e Yen (Shaobo Qin) vão tentar atingir Bank onde mais lhe dói: o dinheiro e o orgulho. A ideia é fazer com que Bank perca o máximo dinheiro possível no dia de inauguração do casino. Para isso vão contar com a ajuda de alguns infiltrados, duas brocas industriais, uns quantos disfarces e também de Terry Benedict (Andy Garcia), com a sua agenda pessoal.


Se conseguirem suspender a credulidade não haverá vítimas. O argumento de Brian Koppelman e David Levien compensa com ritmo o que lhe falta em credibilidade, tensão e surpresas. As personagens mantêm-se sem evoluções relativamente aos dois filmes precedentes (e o primeiro continua sem ser superado), e nunca sentimos que elas estão de facto em perigo. A melhor estratégia é abordar este filme com o mesmo escapismo com que foi elaborado. Sem distracções românticas (it’s a boys’ movie), o entretenimento de “Ocean’s Thirteen” reside essencialmente no divertimento que os actores têm em fazê-lo, e é inevitável imaginá-los num estilo de acampamento só para rapazes (com umas incursões mal aceites pela menina Ellen Barkin) e sob supervisão do (pouco responsável) monitor Soderbergh.


No todo, a terceira parte da saga de Ocean e amigos não defrauda fans incondicionais nem espectadores ocasionais. E distrai bem de uma dor de cabeça de sexta-feira à noite.






CITAÇÕES:


“You're analog players in a digital world.”
EDDIE IZZARD (Roman Nagel)






realizado por Rita às 21:15
link do post | comentar

Sábado, 9 de Junho de 2007
RISCAS BRANCAS

O filme de hoje passa-se em Oeiras. A minha atenção (e expectativa) estará concentrada na sessão das 21h45, que tem como protagonistas os irmãos Meg e Jack White.





SEVEN NATION ARMY
The White Stripes

I’m gonna fight ’em off
A seven nation army couldn’t hold me back
They’re gonna rip it off
Taking their time right behind my back
And I’m talking to myself at night
Because I cant forget
Back and forth through my mind
Behind a cigarette
And the message coming from my eyes
Says leave it alone

Don’t want to hear about it
Every single ones got a story to tell
Everyone knows about it
From the queen of England to the hounds of hell
And if I catch it coming back my way
I’m gonna serve it to you
And that ain’t what you want to hear,
But that’s what Ill do
And the feeling coming from my bones
Says find a home

I’m going to Wichita
Far from this opera for evermore
I’m gonna work the straw
Make the sweat drip out of every pore
And I’m bleeding, and I’m bleeding, and I’m bleeding
Right before the lord
All the words are gonna bleed from me
And I will think no more
And the stains coming from my blood
Tell me go back home






realizado por Rita às 11:47
link do post | comentar

Sexta-feira, 8 de Junho de 2007
[mais] UM ANO DE CINEMA(S)




O Nimas volta a apresentar os melhores filmes estreados entre Junho 2006 e Junho 2007. De 21 de Junho a 29 de Agosto, por apenas 3,50€, esta é a oportunidade de (re)ver as seguintes obras:



AS FILHAS DO BOTÂNICO, Dai Sijie
Quinta, 21 Junho

A LULA E A BALEIA, Noa Baumbach
Sexta, 22 Junho

KLIMT, Raoul Ruiz
Sábado, 23 Junho

PROFISSÃO: REPÓRTER, Michelangelo Antonioni
Domingo, 24 Junho

O TEMPO QUE RESTA, François Ozon
Segunda, 25 Junho

A VIDA SECRETA DAS PALAVRAS, Isabel Coixet
Terça, 26 Junho

UMA VERDADE INCONVENIENTE, Davis Guggenheim
Quarta e Quinta, 27 e 28 Junho

BRISA DE MUDANÇA, Kean Loach
Sexta, 29 Junho

SONHAR COM XANGAI, Wang Xiaoshuai
Sábado, 30 Junho

OS AMANTES REGULARES*, Philippe Garrel
Domingo, 1 Julho

98 OCTANAS, Fernando Lopes
Segunda, 02 Julho

PARAÍSO AGORA, Hany Abu-Assad
Terça, 03 Julho

UMA FAMÍLIA À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS, Jonathan Dayton e Valerie Faris
Quarta e Quinta, 04 e 05 Julho

ROMANCE & CIGARROS, John Turturro
Sexta, 06 Julho

VOO 93, Paul Greengrass
Sábado, 07 Julho

FAÇA FAVOR, Pierre Salvadori
Domingo, 08 Julho

ALGUNS DIAS EM SETEMBRO, Santiago Amigorena
Segunda, 09 Julho

MARIE ANTOINETTE, Sofia Coppola
Terça, 10 Julho

VOLVER - VOLTAR, Pedro Almodóvar
Quarta e Quinta, 11 e 12 Julho

TRANSE, Teresa Villaverde
Sexta, 13 Julho

A DÁLIA NEGRA, Brian De Palma
Sábado, 14 Julho

OS FILHOS DO HOMEM, Alfonso Cuarón
Domingo, 15 Julho

MANUAL DO AMOR, Giovanni Veronesi
Segunda, 16 Julho

A SENHORA DA ÁGUA, M. Night Shyamalan
Terça, 17 Julho

A RAINHA, Stephen Frears
Quarta e Quinta, 18 e 19 Julho

PARIS JE T’AIME, Olivier Assayas, Isabel Coixet, Gus Van Sant, Alfonso Cuaron, etc.
Sexta, 20 Julho

A PRAIRIE HOME COMPANION – BASTIDORES DA RÁDIO, Robert Altman
Sábado, 21 Julho

OBRIGADO POR FUMAR, Jason Reitman
Domingo, 22 Julho

A CIÊNCIA DOS SONHOS, Michel Gondry
Segunda, 23 Julho

VIÚVA RICA SOLTEIRA NÃO FICA, José Fonseca e Costa
Terça, 24 Julho

BABEL*, Alejandro González Inárritu
Quarta e Quinta, 25 e 26 Julho

BORAT, Larry Charles
Sexta, 27 Julho

JUVENTUDE EM MARCHA*, Pedro Costa
Sábado, 28 Julho

O GRANDE SILÊNCIO*, Philip Groning
Domingo, 29 Julho

EM PARIS, Christophe Honoré
Segunda, 30 Julho

THE DEPARTED – ENTRE INIMIGOS*, Martin Scorsese
Terça, 31 Julho

SCOOP, Woody Allen
Quarta e Quinta, 1 e 02 Agosto

FLAGS OF OUR FATHERS – AS BANDEIRAS DOS NOSSOS PAIS, Clint Eastwood
Sexta, 03 Agosto

ODOR DO SANGUE, Mario Martone
Sábado, 04 Agosto

A MALDIÇÃO DA FLOR DOURADA, Zhang Yimou
Domingo, 05 Agosto

PECADOS ÍNTIMOS, Todd Field
Segunda, 06 Agosto

BODY RICE, Hugo Vieira da Silva
Terça, 07 Agosto

AS VIDAS DOS OUTROS, Florian Henckel Von Donnersmarck
Quarta e Quinta, 08 e 09 Agosto

CARTAS DE IWO JIMA, Clint Eastwood
Sexta, 10 Agosto

LIVRO NEGRO*, Paul Verhoeven
Sábado, 11 Agosto

ANJOS EXTERMINADORES, Jean-Claude Brisseau
Domingo, 12 Agosto

O BOM PASTOR*, Robert De Niro
Segunda, 13 Agosto

O ÚLTIMO REI DA ESCÓCIA, Kevin MacDonald
Terça, 14 Agosto

O CAIMÃO, Nanni Moretti
Quarta e Quinta, 15 e 16 Agosto

O BOM ALEMÃO, Steven Soderbergh
Sexta, 17 Agosto

O VÉU PINTADO, John Curran
Sábado, 18 Agosto

O MEU TIO, Jacques Tati
Domingo, 19 Agosto

DIÁRIO DE UM ESCANDALO, Richard Eyre
Segunda, 20 Agosto

O LABIRINTO DO FAUNO, Guillermo Del Toro
Terça, 21 Agosto

CLIMAS, Nuri Bilge Ceylan
Quarta e quinta, 22 e 23 Agosto

SHORTBUS, John Cameron Mitchell
Sexta, 24 Agosto

NÃO DIGAS A NINGUÉM, Guillaume Canet
Sábado, 25 Agosto

STILL LIFE – NATUREZA MORTA, Jia Zhang-Ke
Domingo, 26 Agosto

HONRA DE CAVALARIA, Albert Serra
Segunda, 27 Agosto

INLAND EMPIRE*, David Lynch
Terça e Quarta, 28 e 29 Agosto



Sessões às 14h, 16h30, 19h, 21h30; excepto onde assinalado com *: 14h, 17h45, 21h30.






realizado por Rita às 08:23
link do post | comentar | ver comentários (3)

Quinta-feira, 7 de Junho de 2007
Lisbon Village Festival 2007



De 07 a 24 de Junho, o mundo digital será festejado em Lisboa, de formas tão diversas como o cinema digital, exposições de novas tecnologias e festas animadas por DJs.


As sessões do Village International D-Cinema Festival terão início no dia 18 no Cinema São Jorge. O preço de cada sessão é de 3,5€, com a possibilidade de um passe para o festival no valor de 30€. A entrada nas exposições que integram o Village Art, onde se inclui a exposição de fotografia de Robert De Niro, Sr. (o pai) patente no Palácio Galveias, é gratuita.


Para mais detalhes espreitar aqui.



ANTE-ESTREIA
I COULD NEVER BE YOUR WOMAN, Amy Heckerling (2007, 97’)

MOSTRA SKIP CITY
AI NO YAGURUMAGIKU, Mamiko Hiwatari (2005, 45’)
HELLO HORIZON, Nobuyuki Yoshikawa (2005, 44’)
SAKURA SAKURA, Makoto Yanaguchi (2005, 14’)
HARIYO NO NATSU, Mayu Nakamura (2006, 98’)

MOSTRA HISTÓRIA DO CINEMA
LISBOA CRÓNICA ANEDÓTICA, José Leitão de Barros (1930, 148’)
THE GREAT TRAIN ROBBERY, Edwin S. Porter (1902, 12’)

MOSTRA POLÓNIA
POPIÓŁ I DIAMENT,Andrzej Wajda (1958, 105’)
BLIZNA,Krzysztof Kieslowski (1975, 112’)
JASMINUM, Jan Jakub Kolski (2006, 115’)
KANAL, Andrzej Wajda (1956, 95’)
KRÓTKI FILM O MILOSCI, Krzysztof Kieslowski (1988, 86’)
ZYCIE JAKO SMIERTELNA CHOROBA PRZENOSZONA DROGA PLCIOWA, Krzysztof Zanussi (2000, 100’)

HOMENAGEM ROBERT DE NIRO
NOVECENTO, Bernardo Bertolucci (1976, 315’)

MOSTRA ANIMAÇÃO - TRIBUTO JOANNA QUINN
GIRLS NIGHT OUT (1986, 6’)
BODY BEAUTIFUL (1990, 13’)
ELLES (1992, 3’)
BRITANNIA (1993, 5’)
FAMOUS FRED (1996, 33’)
THE CANTERBURY TALES – THE WIFE OF BATH (2005, 5’)
DREAMS AND DESIRES – FAMILY TIES (2006, 10’)

PANORAMA MUNDIAL
ABRAÇO DO VENTO, José Miguel Ribeiro (2004, 2’48’’)
KARNIVAL ZIVRAT, Michaela Pavlátová (2006, 12’)
CITY PARADISE, Gaelle Denis (2004, 6’)
A DAMA DA LAPA, Joana Toste (2005, 4’20’’)
FLATLIFE, Jonas Geirnaert (2004, 11’)
HISTÓRIA TRÁGICA COM UM FINAL FELIZ, Regina Pessoa (2005, 7’)
HISTÓRIAS DE MOLERO: TODOS OS GAJOS TÊM UM TIO MALUCO, Afonso Cruz (2006, 5’)
JANTAR EM LISBOA, André Carrilho (2007, 10’20’’)
JOJO IN THE STARS, Marc Craste (2003, 13’)
OVERTIME, Oury Atlan, Thibaut Berland, Damien Ferrié (2004, 5’)
LA RÉVOLUTION DES CRABES, Arthur de Pins (2004, 5’,02’’)
RYAN, Chris Landreth (2004, 13’54’’)
STUART, Zepe (2006, 10’)

SESSÃO INFANTIL
ABOUT A GIRL…, Elena Chernova (2002, 6’15’’)
AS COISAS LÁ DE CASA, José Miguel Ribeiro (2003, 2’30’’)
AU BOUT DU MONDE, Konstantin Bronzit (1999, 7’45’’)
ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, Pedro Serrazina (1995, 5’)
LE MOINE ET LE POISSON, Michaël Dudok de Wit (1994, 6’30’’)
MAIS PERTO DAS NUVENS, Crianças do Agrupamento de escolas “Terras do xisto”, Fundão, com coordenação de Nelson Fernandes e Rodolfo Pimenta (2005, 12’)
MANIPULATION, Daniel Greaves (1991, 6’20’’)
SHSHSH… SINTONIA INCOMPLETA, Mário Jorge da Silva Neves (1999, 3’)
TIM TOM, Christel Pougeoise, Roman Segaud (2002, 5’)






realizado por Rita às 22:12
link do post | comentar

Cinefools
RITA, MIGUEL, SÉRGIO, NUNO,
VASCO, LUÍS,
efeitos visuais por S.
Citação

“When morals decline and good men do nothing evil flourishes.”
LEONARDO DICAPRIO (J. Edgar Hoover) in J. EDGAR, de Clitn Eastwood
Banda sonora

PILEDRIVER WALTZ – Alex Turner
in “Submarine” de Richard Ayoade (2010)
Artigos recentes

Dos vícios antigos se faz...

Dos vícios antigos se faz...

Reavivar com música XIV

Reavivar com música XIII

Reavivar com música XII

Dos vícios antigos se faz...

Porque a cultura nunca fe...

E dia 30, no Porto, tudo ...

Reavivar com música XI

Reavivar com música X


NOTÍCIAS

OPINIÕES

Filmes
#
$9.99
(500) Days of Summer
12:08 A Este de Bucareste
127 Hours
13 (Tzameti)
1408
16 Blocks
2 Days in Paris
2046
21
21 Grams
25 Watts
3... Extremos
300
4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias
4ème Morceau de la Femme Coupée en Trois, Le
50/50
5x2
9 Songs

A
À l’Origine
À Tout de Suite
Aaltra
Abrazos Rotos, Los
Adam
Adeus, Dragon Inn
Ae Fond Kiss
Affaire Farewell, L’
Afterschool
Agents Secrets
Agony and the Ecstasy of Phil Spector, The
Ágora
After.Life
Alatriste
Albert Nobbs
Alex
Alexander
Alfie
Alice In Wonderland
All The Invisible Children
Amants Réguliers, Les
American, The
American Gangster
American Splendor
Amor Idiota
Amours Imaginaires, Les
An Education
An Obsession
Ana Y Los Otros
Anche Libero Va Bene
Angel-A
Anges Exterminateurs, Les
Answer Man, The
Anthony Zimmer
Antichrist
Apocalypto
Approaching Union Square
Après Vous...
Arnacoeur, L’
Arsène Lupin
Artist, The
Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford, The
Assassination of Richard Nixon, The
Astronaut Farmer, The
Asylum
Atonement
Ausentes
Aventures Extraordinaires d'Adèle Blanc-Sec, Les
Aviator, The
Away We Go
Azuloscurocasinegro

B
Baader-Meinhof Komplex, Der
Babel
Babies
Backstage
Ballad of Jack and Rose, The
Banquet, The
Barney’s Version
Basic Instinct 2
Batman Begins
Battle in Seattle
Be Kind Rewind
Bee Movie
Before Sunset
Before the Devil Knows You’re Dead
Beginners
Being Julia
Belle Bête, La
Belleville Rendez-Vous
Big Bang Love, Juvenile A
Big Fish
Birth - O Mistério
Black Swan
Blade Runner
Blindness
Blood Diamond
Blue Valentine
Boat That Rocked, The
Bobby
Body of Lies
Bocca del Lupo, Las
Borat
Born Into Brothels
Bourne Ultimatum, The
Box, The
Boxing Day
Boy in the Striped Pyjamas, The
Boys are Back, The
Brave One, The
Breach
Breakfast on Pluto
Breaking and Entering
Brick
Brokeback Mountain
Broken Flowers
Brothers Bloom, The
Brothers Grimm, The
Brüna Surfistinha
Brüno
Burn After Reading
Butterfly Effect

C
Caché
Caimano, Il
Camping Sauvage
Candy
Canino - Kynodontas
Capitalism: A Love Story
Capote
Caramel
Carandiru
Carlos
Carnage
Carne Fresca, Procura-se
Cartouches Gauloises
Casanova
Casino Jack
Casino Royale
Caos Calmo
Castro
C’est Pas Tout à Fait la Vie Dont J’avais Rêvé
Chamada Perdida, Uma
Changeling
Chansons d’Amour
Chaos
Chaos Theory
Charlie and the Chocolate Factory
Charlie Wilson's War
Che: El Argentino
Che: Guerrilla
Chefe Disto Tudo, O - Direktøren for det Hele
Chico & Rita
Children of Men
Chloe
Choke
City of Life and Death
Client 9: The Rise and Fall of Eliot Spitzer
Climas - Iklimer
Closer - Perto Demais
Cloudy With A Chance Of Meatballs
Coco Avant Chanel
Cœurs
Coffee and Cigarettes
Coisa Ruim
Cold Souls
Collateral
Collector, The
Combien Tu M’Aimes?
Comme une Image
Concert, Le
Condemned, The
Constant Gardener, The
Control
Copying Beethoven
Corpse Bride
Couperet, Le
Couples Retreat
Crash
Crazy, Stupid, Love.
Crimen Ferpecto
Crimson Gold
Crónicas
Crónicas de Narnia, As
Curious Case of Benjamin Button, The
Curse of the Golden Flower

D
Da Vinci Code, The
Dangerous Method, A
Dans Paris
Darjeeling Limited, The
Dark Knight, The
De Tanto Bater o Meu Coração Parou
Dead Girl, The
Dear Wendy
Death of Mr. Lazarescu, The
Death Proof (S), Death Proof (R)
Debt, The
Deixa-me Entrar
Déjà Vu
Delirious
Departed, The
Descendants, The
Despicable Me
Derailed
Destricted
Dialogue Avec Mon Jardinier
Diarios de Motocicleta
Die Hard 4.0
Disturbia
Do Outro Lado
Don’t Come Knocking
Dorian Gray
Doublure, La
Drama/Mex
Drawing Restraint 9
Dreamgirls
Dreams on Spec
Drive

E
Eamon
Eastern Promises
Easy Rider
Edge of Love, The
Educación de las Hadas, La
Edukadores, Os
Elegy
Elizabeth: The Golden Age
Elizabethtown
En la Cama
Enfant, L’
Ensemble, C’est Tout
Enter The Void
Entre Les Murs
Entre os Dedos
Entre Ses Mains
Eternal Sunshine of the Spotless Mind
Être et Avoir
Eu Servi o Rei de Inglaterra
Evening
Everything is Illuminated
Exit Through the Gift Shop
Extremely Loud & Incredibly Close

F
Factory Girl
Fahrenheit 9-11
Family Stone, The
Fantastic Mr. Fox
Fast Food Nation
Faute à Fidel, La
Ferro 3
Fighter, The
Fille Coupée en Deux, La
Fille du Juge, La
Fils de L’Épicier, Le
Final Cut, The
Find Me Guilty
Finding Neverland
Fish Tank
Five Minutes of Heaven
Flags Of Our Fathers
Flores de Otro Mundo
Flushed Away
Fountain, The
Forgotten, The
Fracture
Frágeis
Frank Zappa - A Pioneer of the Future of Music Part I & II
Frankie
Freedomland
Fresh Air
Frost/Nixon
Frozen Land

G
Gabrielle
Gainsbourg (Vie Héroïque)
Garden State
Géminis
Genesis
Gentille
George Harrison: Living in the Material World
Get Smart
Gigantic
Ghost Dog - O Método do Samurai
Ghost Town
Ghost Writer, The
Girl From Monday, The
Girl With a Pearl Earring
Girlfriend Experience, The
Go Go Tales
Gomorra
Gone Baby Gone
Good German, The
Good Night, And Good Luck
Good Shepherd, The
Good Year, A
Graduate, The
Graine et le Mulet, La
Gran Torino
Grande Silêncio, O
Gravehopping
Green Lantern
Grbavica

H
Habana Blues
Habemus Papam
Habitación de Fermat, La
Half Nelson
Hallam Foe
Hanna
Happening, The
Happy Endings
Happy-Go-Lucky
Hard Candy
Harsh Times
He Was a Quiet Man
Hedwig - A Origem do Amor
Héctor
Hellboy
Hellboy II: The Golden Army
Help, The
Herbes Folles, Les
Hereafter
History of Violence, A
Hoax, The
Holiday, The
Home at the End of the World, A
Host, The
Hostel
Hotel Rwanda
Hottest State, The
House of the Flying Daggers
How To Lose Friends & Alienate People
Howl
Humpday
Hunger
Hurt Locker, The
Hustle & Flow
I
I Am Legend
I Could Never Be Your Woman
I Don’t Want To Sleep Alone
I Heart Huckabees
I Love You Phillip Morris
I’m Not There
I’m Still Here
Ice Age - The Meltdown
Ice Harvest, The
Ides of March, The
If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front
Illusionist, The
Illusioniste, L’
Ils Ne Mouraient Pas Tous Mais Tous Étaient Frappés
Imaginarium of Doctor Parnassus, The
Immortel (ad vitam)
In a Better World - Hævnen
In Bruges
In Good Company
In Her Shoes
In The Loop
In the Valley of Elah
In Time
Inception
Inconvenient Truth, An
Incredible Hulk, The
Incredibles, The
Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull
Indigènes - Dias de Glória
Infamous
Informant!, The
Informers, The
Inglourious Basterds
Inland Empire
Inner Life of Martin Frost, The
Inside Man
Intermission
Interpreter, The
Interview
Into the Wild
Introspective
Io Sono L’Amore
Iron Lady, The
Iron Man
Island, The
It Happened Just Before
It Might Get Loud
Ivresse du Pouvoir, L’

J
J. Edgar
Jacket, The
Japanese Story
Jarhead
Je Ne Suis Pas La Pour Être Aimé
Je Préfère Qu’on Reste Amis
Jeux d’Enfants
Jindabyne
Julie & Julia
Juno
Just Like Heaven
Juventude em Marcha

K
Kids Are All Right, The
Kill List
King Kong
King’s Speech, The
Kiss Kiss Bang Bang
Klimt
Knight and DayKovak Box, The

L
Laberinto del Fauno, El
Lady in the Water
Lake House, The
Land of Plenty
Lars and the Real Girl
Last King of Scotland, The
Last Kiss, The
Last Night
Last Station, The
Leatherheads
Letters From Iwo Jima
Levity
Libertine, The
Lie With Me
Life Aquatic with Steve Zissou, The
Life During Wartime
Life is a Miracle
Lions For Lambs
LIP, L’Imagination au Pouvoir, Les
Lisboetas
Little Children
Little Miss Sunshine
Livro Negro - Zwartboek
Left Ear
Lonely Hearts
Long Dimanche de Fiançailles, Un
Lost in Translation
Lou Reed's Berlin
Louise-Michel
Love Conquers All
Love and Other Drugs
Love in the Time of Cholera
Love Song for Bobby Long, A
Lovebirds, The
Lovely Bones, The
Lucky Number Slevin
Luna de Avellaneda
Lust, Caution

M
Machete
Madagascar
Made in Dagenham
Mala Educación, La
Malas Temporadas
Mammuth
Man About Town
Man On Wire
Management
Manuale d’Amore
Maquinista, O
Mar Adentro
Margin Call
Margot at the Wedding
Maria Cheia de Graça
Marie Antoinette
Martha Marcy May Marlene
Mary
Match Point
Me And You And Everyone We Know
Meek's Cutoff
Melancholia
Melinda and Melinda
Memórias de uma Geisha
Men Who Stare at Goats, The
Método, El
Mi Vida Sin Mí
Michael Clayton
Micmacs à Tire Larigot
Midnight in Paris
Milk
Million Dollar Baby
Mio Fratello è Figlio Unico
Moine, Le
Momma’a Man
Moneyball
Monster
Moon
Morning Glory
Mother (Madeo)
Mother, The
Moustache, La
Mozart and the Whale
Mrs Henderson Presents
Mujer Sin Cabeza, La
Munique
Music & Lyrics
My Blueberry Nights
My Week With Marilyn
My Son, My Son, What Have Ye Done
Mysterious Skin

N
Nana, La
Nathalie
Ne Le Dis À Personne
Ne Te Retourne Pas
NEDS
New World, The
Ni pour, ni contre (bien au contraire)
Niña Santa, La
Night Listener, The
Night on Earth
Nightmare Before Christmas, The
Ninguém Sabe
No Country For Old Men
No Reservations
No Sos Vos, Soy Yo
Nombres de Alicia, Los
North Country
Notes on a Scandal
Number 23, The

O
Ocean’s Thirteen
Odore del Sangue L’
Offside
Old Joy
Oldboy
Oliver Twist
Once
Onda, A - Die Welle
Ondine
Orgulho e Preconceito
Orly

P
Pa Negre (Pan Negro)
Painted Veil, The
Palais Royal!
Para Que No Me Olvides
Paradise Now
Paranoid Park
Parapalos
Paris
Paris, Je T’Aime
Passager, Le
Passenger, The (Professione: Reporter)
Patti Smith - Dream of Life
Perder Es Cuestión de Método
Perfume: The Story of a Murderer
Persépolis
Personal Velocity
Petite Lili, La
Piel Que Habito, La
Pink
Pirates of the Caribbean: Dead Man’s Chest
Planet Terror
Playtime
Please Give
Post Mortem
Poupées Russes, Les
Prairie Home Companion, A
Precious: Based on the Novel ‘Push’ by Sapphire
Prestige, The
Presunto Culpable
Pretty In The Face
Prophète, Un
Promeneur du Champ de Mars, Le
Promotion, The
Proof
Proposition, The
Prud'Hommes
Public Enemies

Q
Quantum of Solace
Quatro Noites Com Anna
Queen, The
Quelques Jours en Septembre
Qui M’Aime Me Suive

R
Rabia
Rachel Getting Married
Raison du Plus Faible, La
Ratatouille
Re-cycle
Reader, The
Red Eye
Red Road
Redacted
Refuge, Le
Religulous
Reservation Road
Reservoir Dogs
Resident, The
Restless
Revenants, Les
Revolutionary Road
Ring Two, The
Road, The
Road To Guantanamo, The
Rois et Reine
Rôle de sa Vie, Le
Romance & Cigarettes
Rubber
Rum Diary, The
S
Sabor da Melancia, O
Safety of Objects, The
Salt
Salvador (Puig Antich)
Samaria
Sauf Le Respect Que Je Vous Dois
Savages, The
Saw
Saw II
Saw III
Scaphandre et le Papillon, Le
Scanner Darkly, A
Science des Rêves, La
Sconosciuta, La
Scoop
Scott Pilgrim vs. The World
Secret Window
Secreto de Sus Ojos, El
Selon Charlie
Sem Ela...
Semana Solos, Una
Señora Beba
Sentinel, The
Separação, Uma - Jodaeiye Nader az Simin
Séptimo Día, El
Séraphine
Seres Queridos
Serious Man, A
Sex is Comedy
Sexualidades - En Soap
S&Man
Shady Grove
Shame
Shattered Glass - Verdade ou Mentira
She Hate Me
Shooting Dogs
Shopgirl
Shortbus
Shrek 2
Shrek The Third
Shrink
Shutter Island
Sicko
Sideways
Silence de Lorna, Le
Silk
Simpsons Movie, The
Sin City
Single Man, A
Sky Captain and the World of Tomorrow
Slumdog Millionaire
Smart People
Social Network, The
Soeurs Fâchées, Les
Soledad, La
Solitudine dei Numeri Primi, La
Somewhere
Son of Rambow
Sonny
Snow
Snow Cake
Spanglish
Spread
Squid and the Whale, The
Star Trek
Still Life
Stop Making Sense
Stranger Than Fiction
Strings
Submarine
Sunshine
Super 8
Sweeney Todd
Syriana

T
Tabloid
Tarnation
Tartarugas Também Voam, As
Taxidermia
Te Doy Mis Ojos
Temps du Loup, Le
Temps Qui Changent, Les
Temps Qui Reste, Le
Temporada de Patos
Teta Asustada, La
Thank You For Smoking
There Will Be Blood
This Is England
This Movie Is Broken
This Must Be The Place
Thirst
Thor
Three Burials of Melquiades Estrada, The
Thumbsucker
Tideland
Tigre e la Neve, La
Time Traveler's Wife, The
Tinker, Tailor, Soldier, Spy
To Take A Wife
Todos os Outros – Alle Anderen
Tonite Let's All Make Love in London
Tournée
Toy Story 3
Transamerica
Transsiberian
Travaux, On Sait Quand Ça Commence
Tree of Life, The
Très Bien, Merci
Três Macacos, Os
Trilogia Lucas Belvaux
Triple Agent
Tristram Shandy: A Cock and Bull Story
Tropa de Elite
Tropa de Elite 2
Tropic Thunder
Tropical Malady
Trust the Man
Tsotsi
Tueur, Le

U
United States of Leland
Unknown
Untergang, Der - A Queda
Up
Up In The Air

V
V For Vendetta
Vacancy
Valkyrie
Valsa com Bashir
Vanity Fair
Vantage Point
Vera Drake
Vers Le Sud
Vicky Cristina Barcelona
Vida Secreta de las Palabras, La
Vidas dos Outros, As (Das Leben der Anderen)
Vie en Rose, La
Village, The
Vipère au Poing
Visitor, The
Viva
Volver

W
Walk Hard: The Dewey Cox Story
Walk the Line
WALL-E
War, Inc.
War of the Worlds
Wassup Rockers
Waste Land - Lixo Extraordinário
Watchmen
What a Wonderful Place
What the #$*! Do We (K)now!?
Whatever Works
When in Rome
Where the Truth Lies
Where The Wild Things Are
Whip It
Whisky
We don’t care about music anyway…
We Dont’t Live Here Anymore
Weisse Band, Das – O Laço Branco
Wide Awake
Wilbur Wants to Kill Himself
Wind That Shakes The Barley, The
Winter’s Bone
Woman Under The Influence, A
Woodsman, The
World, The
World Trade Center
Wrestler, The

X
X-Files: I Want To Believe, The
X-Men: First Class
X-Men Origins: Wolverine

Y
Yo Soy La Juani
Young Adult
Youth in Revolt
Youth Without Youth

Z
Zack And Miri Make A Porno

Zodiac
Arquivo

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Outubro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Festivais e Prémios
- FANTASPORTO
- FESTROIA
- INDIE LISBOA
- FESTIVAL DE CINEMA GAY E LÉSBICO DE LISBOA
- FESTIVAL INTERNACIONAL DE CURTAS METRAGENS DE VILA DO CONDE
- DOCLISBOA
- CINANIMA
- CineECO
- FamaFEST
- FICA
- FESTIVAL DE CINEMA LUSO-BRASILEIRO DE SANTA MARIA DA FEIRA
- fest | FESTIVAL DE CINEMA E VÍDEO JOVEM DE ESPINHO
- CAMINHOS DO CINEMA PORTUGUÊS
- FESTIVAL DE CANNES
- LES CÉSAR DU CINEMA
- PREMIOS GOYA
- FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE DONOSTIA - SAN SEBASTIAN
- LA BIENNALE DI VENEZIA
- FESTIVAL INTERNAZIONALE DEL FILM - LOCARNO
- INTERNATIONALE FILMSPIELE BERLIN<
- BAFTA
- LONDON FILM FESTIVAL
- EDINBURGH INTERNATIONAL FILM FESTIVAL
- OSCAR
- SUNDANCE FILM FESTIVAL
- GOLDEN GLOBES
- NEW YORK FILM FESTIVAL
- SAN FRANCISCO FILM FESTIVAL
- TORONTO INTERNATIONAL FILM FESTIVAL
- MONTRÉAL WORLD FILM FESTIVAL
- ROTTERDAM INTERNATIONAL FILM FESTIVAL